Vera Magalhães: Ao defender Battisti, PT mostra desconexão profunda com anseios do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 14/01/2019 09h07 - Atualizado em 14/01/2019 09h14
ReproduçãoPara comentarista, PT não tem pauta para ser opção de poder

Depois de anos no Brasil, Cesare Battisti fugiu após ter extradição decretada e foi preso na Bolívia. De lá, está sendo transferido para Roma, na Itália, onde ficará preso por homicídios cometidos na década de 1970 em grupo comunista. O terrorista já desembarcou nesta segunda-feira (14) e será levado ao local onde cumprirá pena.

Para Vera Magalhães, esta é “certamente” uma vitória política do presidente Jair Bolsonaro. “Em poucas semanas, ele vê resolvido um problema que ele tinha prometido enfrentar durante a campanha”, afirmou. No período eleitoral, o capitão da reserva do Exército havia dito que revogaria o asilo e autorizaria a extradição do italiano.

No fim, Bolsonaro não teve que editar nenhum decreto. A medida coube ao ex-presidente Michel Temer. “Estava tudo pronto para a extradição quando ele foi para a Bolívia. Battisti é homicida, matou quatro pessoas quando fez parte de grupo guerrilheiro.” Houve também pedido de prisão de ministro do Supremo Tribunal Federal.

Com a mudança na decisão sobre o caso de Battisti, o novo governo indica que “houve mudança de direcionamento político” no País. “Lula entendia que ele era um militante político. Agora, [Bolsonaro] vê que ele é um terrorista condenado por homicídios.” O episódio da captura na Bolívia, entretanto, não está livre de jogo político.

A comentarista explicou que tratado de extradição firmado entre Itália e Brasil “impediria a prisão perpétua de Battisti”. Assim, ele só poderia cumprir 25 anos de prisão. Nesse sentido, a Itália teve maior interesse em transferi-lo diretamente da Bolívia, porque poderia ignorar essa cláusula e submetê-lo à prisão perpétua conforme condenação.

Desconexão

“O Battisti fugiu da França para o Brasil motivado por um partido de esquerda que tinha assumido o poder, achando que teria guarida aqui. E teve. O STF decidiu pela extradição e o Lula entrou no caminho e fez um puxadinho no qual a ultima decisão caberia a ele, que concedeu o asilo”, afirmou Vera Magalhães no Jornal da Manhã.

“O PT segue fazendo discurso de que Cesare Battisti é um injustiçado, quando na verdade ele matou quatro pessoas. A condenação foi possível graças a uma delação. Ao defender Battisti até hoje, [o PT] mostra uma desconexão profunda com os anseios do Brasil e que não tem pauta nenhuma para ser uma opção de poder.”