Após revolucionar direitos LGBT, Will & Grace promete “chacoalhar” era Trump em revival

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2017 08h44 - Atualizado em 29/09/2017 08h45
Reprodução/FacebookImagem dos protagonistas da série em gravações do revival

Em 21 de setembro de 1998, estreava na televisão estado-unidense o seriado Will & Grace – cujo revival, uma nova temporada de 16 episódios, acaba de ser lançado pela NBC. Criado por David Kohan e Max Mutchnick, a comédia narrava a divertida (e eventualmente conflituosa) relação entre Will Truman, um advogado gay, e Grace Adler, sua amiga judia que trabalhava como designer de interiores. Uma história aparentemente despretensiosa, né? Acontece que o programa revolucionou não só o mercado televisivo da época, como também o tratamento dado pela sociedade à população LGBT.

Para você ter uma ideia: naquela época, em alguns estados norte-americanos, as leis de “sodomia” (nomenclatura que remete a práticas de “perversão sexual”) ainda criminalizavam as relações homossexuais. Em outros países, esses relacionamentos eram considerados até mesmo crimes passíveis de duras punições, chegando à pena de morte.

A primeira nação a oficializar a união entre pessoas do mesmo sexo foi a Holanda em 2001. Nos Estados Unidos, aconteceu em 2015. E olha só a moral! Anos antes de isso acontecer, em entrevista ao programa Meet the Press, exibido também pela NBC, o vice-presidente dos Estados Unidos na gestão de Barack Obama, Joe Biden, citou o seriado ao comentar o lento porém relevante avanço nos direitos conquistados por gays e lésbicas no país.

“Estou absolutamente confortável com o fato de que homens se casando com homens, mulheres se casando com mulheres, e homens se casando com mulheres têm os mesmos direitos. Todos os direitos civis, todas as liberdades civis. Não vejo distinções”, disse. “Acho que Will & Grace fez mais para educar a população do que qualquer um fez até agora. As pessoas têm medo do que é diferente. Agora estão começando a entender”, concluiu.

Por essas e outras, aos fãs resta a dúvida. Na polêmica era Donald Trump, será que o seriado continuará sendo tão revolucionário assim? Ao que tudo indica até agora, essa é a proposta. Pelo menos é o que os atores Debra Messing e Eric McCormack, responsáveis pelos dois protagonistas da trama, declararam em um recente painel de lançamento.

“O que mais amo no programa desde o começo é que os assuntos do momento estavam em seu DNA. Com a comédia, colocávamos luz sobre o que estava acontecendo na cultura e na política naquele momento”, disse Debra. “Existem algumas coisas que agora finalmente estão sendo celebradas em nossa cultura. E todos nós nos comprometemos a ser o programa que sempre fomos. Então vamos falar sobre o que está acontecendo agora”.

“Vamos ser tão progressistas e ofensivos quanto pudermos. Se não ofendermos alguém a cada episódio, estaremos muito seguros”, completou Eric McCormack no mesmo evento.

Megan Mullally e Sean Hayes, os outros personagens principais Karen Walker e Jack McFarland, continuam no revival. Will & Grace é exibido no Brasil pelo canal Sony. Ainda não há data prevista para a estreia da nova temporada.