“Fantasma” do corte vira o maior adversário do futebol na Copa do Mundo

  • Por Agencia EFE
  • 10/06/2014 18h38

Redação Central, 10 jun (EFE).- As lesões viraram “atração” antes de a Copa do Mundo começar, já que craques como o francês Franck Ribéry, o colombiano Falcao García e o alemão Marco Reus viveram o drama do corte às vésperas da competição, enquanto o português Cristiano Ronaldo e o uruguaio Luis Suárez lutam para se recuperar fisicamente.

Fraturas, fissuras, contraturas, traumatismos e inflamações crônicas, além de rompimentos de ligamentos cruzados, contusões nos joelhos, tornozelos, tornozelos. Problemas inesperados como esses podem fazer um jogador adiar ou até mesmo encerrar o sonho de disputar uma Copa.

Um dos exemplos mais impactantes foi o de Falcao García, atacante do Monaco e principal jogador da seleção da Colômbia. Avaliado em 60 milhões de euros (R$ 185,4 milhões), o atacante machucou o joelho esquerdo no início do ano, travou uma batalha para estar apto para a competição, mas acabou fora da lista de 23 que disputarão a Copa.

Terceiro colocado na última edição do prêmio Bola de Ouro, que elegeu o melhor jogador do mundo em 2013, o francês Franck Ribéry perderá o provável último Mundial da carreira devido a uma lombalgia.

O alemão Marco Reus, por sua vez, se contundiu durante o último amistoso da seleção alemã antes da Copa do Mundo. Contra a Armênia, o atleta do Borussia Dortmund sofreu rompimento parcial dos ligamentos do tornozelo esquerdo.

Além dos jogadores cortados das listas definitivas de 23 convocados para o torneio, algumas seleções confirmaram a presença de peças importantes que não se apresentaram nas melhores condições físicas para atuar.

Melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo luta contra lesão muscular desde antes do início da preparação portuguesa. A comissão técnica do país acredita e trabalha para que o atacante do Real Madrid esteja na estreia contra a Alemanha, no dia 16 de junho, na Fonte Nova, em Salvador.

Outro que também será observado de perto é o atacante uruguaio Luis Suárez, que fez grande temporada pelo Liverpool. O jogador se submeteu a uma cirurgia no menisco do joelho esquerdo semanas antes do apito inicial para a Copa.

Entre as baixas da Copa ainda estão, o alemão Lars Bender, o holandês Kevin Strootman, o belga Christian Benteke, o italiano Riccardo Montolivo e o francês Steve Mandanda. A eles se juntam o holandês Rafael van der Vaart, o inglês Andros Townsend, o chileno Matías Fernández, o croata Ivan Strinic e o mexicano Luis Montes.

Uma fratura na tíbia esquerda sofrida em amistoso da Itália contra Irlanda acabou com as chances do meia italiano Riccardo Montolivo. O jogador era titular e peça importante da seleção comandada por Cesare Prandelli.

Bem antes de a bola rolar, já haviam sido descartadas as presenças do meia-atacante inglês Theo Walcott, do atacante belga Christian Benteke e do goleiro Víctor Valdés, por exemplo.

Na reta final, antes de ser divulgada a convocação espanhola, quem saiu de cena foi o meia Thiago Alcântara, filho do ex-jogador da seleção brasileira Mazinho.

Na Holanda, quase sempre afetada por cortes antes de Copas, o volante Kevin Strootman rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, e o meia Rafael van der Vaart, que se preparava para a terceira Copa do Mundo aos 31 anos, sofreu lesão na perna direita. Ambos perderão a competição.

Seleções que não figuram entre as favoritas também perderam atletas, como Equador (Jairo Campos e Segundo Castillo), Austrália (Rhys Williams e Robbie Kruse), a Costa Rica (Bryan Oviedo e Jorge Luis Pinto), também tiveram atletas cortadas. EFE

hbr/vnm/bg