Craque no Fifa, Wendell Lira surpreendeu colega de games ao revelar ser jogador

  • Por Luiz V. Andreassa/Jovem Pan
  • 14/01/2016 21h55
Wendell Lira posa com o prêmio PuskasWendell Lira chega ao Brasil com prêmio de gol mais bonito do ano

Muita gente se surpreendeu quando foi divulgada a notícia de que Wendell Lira, brasileiro vencedor do prêmio Puskas pelo gol mais bonito de 2015, havia vencido Abdulaziz Alshehri, campeão mundial no jogo Fifa, em uma partida de vídeo game. No entanto, para o carioca Allan Castello, o feito não foi tão surpreendente: ambos pertencem ao mesmo time, o Fusion Team, que disputa campeonatos online e presenciais do famoso game de futebol. Segundo Allan, o colega famoso sempre foi um craque com o joystick.

“A gente sempre tenta pegar os melhores jogadores para a nossa equipe, e, como o Wendell Lira estava se destacando na seletiva para o Mundial, da FWC, o dono (da equipe) conseguiu entrar em contato com ele. Eu já tinha ele adicionado no Facebook, por estar sempre jogando as competições. Eu falei: ‘o cara joga bem mesmo, e é gente boa’, então chamamos ele”, conta Allan, que só soube do lado “jogador de verdade” de Wendell quando seu gol pelo Goianésia contra o Atlético Goianiense, pelo Campeonato Goiano, foi indicado ao prêmio da Fifa.

“Eu tinha ele como jogador só de vídeo game. Quando saiu o gol dele, sendo divulgado, eu perguntei se era ele que tinha feito, e ele disse que sim. O cara é tão humilde que nunca nem tocou no assunto de que era profissional, só falava de vídeo game. Quando eu vi falei ‘caraca, o cara está disputando o melhor gol do ano e ainda joga pra caramba no vídeo game’. Nem imaginava”, contou Allan.

Duelo de tirar o fôlego

Allan recorda em detalhes a primeira partida contra o dono do prêmio Puskas. “Ele estava com o Real Madrid e eu estava com o PSG. Eu abri 1 a 0, o jogo lá e cá, ele com todo mundo para frente, um jeito muito diferente de jogar, com quatro atacantes. No segundo tempo ele empatou em 1 a 1. Até então o empate era bom para mim, pois mesmo empatando estava na briga pela vaga no Mundial. Só que aos 80 minutos sofri um pênalti e fiz 2 a 1. Então pausei o jogo, retranquei o time e fiquei só trabalhando para o tempo passar. Mas foi um jogo eletrizante, porque ele ataca muito”, relatou.

Com a assinatura de contrato com o Vila Nova, de Goiás, Wendell se afastou das partidas virtuais. No entanto, segundo Allan, continua em alto nível. “Eu fiquei surpreso pelo placar (contra o campeão mundial), porque foi 6 a 1. Mas que ele pode ganhar de qualquer um lá, isso ele pode, porque o nível dele é muito alto. O Wendell Lira jogou, se eu não me engano, quatro torneios online e ganhou os quatro”, afirmou. Mas a preferência de Wendell era pelos torneios presenciais. “Ele jogava mais os presenciais, os torneios online ele não jogava tanto porque a conexão dele não era boa”.

Apesar de estar ocupado após o reconhecimento mundial, o jogador prometeu ao amigo que voltará a disputar partidas virtuais. “Ele ainda conversa com a gente, com o dono da nossa equipe. Ele falou que vai voltar, que a vida dele ficou corrida, mas falou que vai voltar porque é algo que gosta muito. Na verdade, ele não está nem jogando, mas continua com um nível alto, e, geralmente, para manter um nível alto, tem que estar jogando”, analisou Allan, que tem um canal no Youtube sobre o game Fifa 16 e tenta seguir carreira como “atleta virtual”.