Técnico do Bayern admite preocupação com velocidade de Neymar e Mbappé

Hans-Dieter Flick e o lateral Kimmich participaram de coletiva de imprensa antes da final da Liga dos Campeões que acontece amanhã, às 16h (horário de Brasília)

  • Por Jovem Pan
  • 22/08/2020 15h58 - Atualizado em 22/08/2020 15h58
EFE/EPA/YOAN VALATMbappé e Neymar geram preocupação para o Bayern de Munique

O técnico do Bayern de Munique, Hans-Dieter Flick, e o lateral-direito, Joshua Kimmich, falaram neste sábado, 22, sobre as qualidades do Paris Saint-Germain, adversário do clube alemão na final da Liga dos Campeões da Europa, que será disputada neste domingo no Estádio da Luz, em Lisboa, Portugal, às 16h (horário de Brasília).

O treinador alemão foi questionado sobre a velocidade do PSG e admitiu preocupação com o poderio ofensivo dos franceses, mas afirmou que não mudará o modo de jogo de sua equipe. “Nosso estilo depende da pressão alta para bloquear espaços do adversário em seu campo, mas, como consequência, há espaços deixados atrás. Sabemos que o PSG tem jogadores muito rápidos, mas, nos últimos 10 meses, sempre tentamos impor nosso estilo ao adversário. Sempre jogamos com uma linha alta e, no fim das contas, conseguimos resultados fazendo isso, então não vamos mudar muito nesse sentido”, explicou o treinador.

Flick, porém, não elogiou apenas o ataque do PSG, liderado pelo brasileiro Neymar e pelo francês Mbappé. O técnico do Bayern também exaltou a defesa adversária, citando outros dois jogadores brasileiros: Thiago Silva e Marquinhos. “Assistimos a todos os seus jogos e é claro que eles têm muita qualidade, são muito parecidos com o Barcelona nesse aspecto. É importante cortar essas linhas de passe e não dar muito espaço ao adversário para passar a bola. Eles têm velocidade e são um time de ponta com jogadores incríveis. Não somente no ataque, mas também na defesa, com Thiago Silva e Marquinhos”, analisou.

“Eles sofreram apenas cinco gols na Liga dos Campeões, então você pode ver que não é só o ataque que funciona, mas a defesa também”, seguiu o técnico, que era auxiliar e assumiu o comando do time no meio da temporada em substituição ao croata Niko Kovac. O lateral-direito Kimmich também foi questionado sobre o ataque do PSG e falou sobre o desafio de marcar os craques do time adversário.

“Não sabemos qual será a escalação, mas acho que vou jogar como lateral-direito. Neymar e Mbappé são, claro, muito rápidos, então temos que ter cuidado porque o ritmo talvez seja maior do que o que enfrentamos nos outros jogos. Mas não acho que vamos recuar”, afirmou. O jogador da seleção alemã também aproveitou para exaltar o sucesso imediato de Flick, que comanda o Bayern em busca da Tríplice Coroa. O time já conquistou o Campeonato Alemão e a Copa da Alemanha nesta temporada.

“Ele conseguiu ter acesso a equipe e a todo o estafe muito rapidamente. Ele nos dá um plano de jogo claro. Mas o seu ponto forte é a empatia. Hansi não vê só táticas, mas também o lado humano e as pessoas. Nós, jogadores, sentimos isso e os membros do estafe também”. Kimmich destacou o sentimento de jogar sua primeira final de Liga dos Campeões. “Não há título maior do que este. Queremos agarrar esta oportunidade. O hino tem algo de mágico, basta estar lá para perceber que esta é uma competição especial. Finalmente estamos na final e agora só pensamos em ganhar”, ressaltou.

*Com Estadão Conteúdo