Para ir à final da Libertadores, Palmeiras precisa de feito inédito contra o Boca Juniors

  • Por Jovem Pan
  • 30/10/2018 18h30
César Greco/Agência Palmeiras/DivulgaçãoO Palmeiras de Felipão precisa vencer por três gols de diferença ou devolver o 2 a 0 e buscar nos pênaltis a vaga na final

Historicamente, o Palmeiras pode levar vantagem nos confrontos com o Boca Juniors, tendo vencido oito dos 24 jogos disputados entre as equipes contra apenas quatro triunfos argentinos. Mas, para alcançar à final da Libertadores da América deste ano, o clube alviverde necessita de um feito inédito: bater os xeneizes em um duelo de mata-mata.

Dos nove confrontos que tiveram na história da competição continental, cada clube venceu duas vezes e houve cinco empates. Mas, quando os duelos aconteceram em fases eliminatórias, como a semifinal deste ano, o Palmeiras nunca conseguiu bater o Boca Juniors, que acabou sempre levando a melhor no final. Foi assim nas edições de 2000 e 2001.

Em 2000, os times se enfrentaram na decisão da Libertadores da América. No primeiro jogo, disputado em La Bombonera, na Argentina, empate em 2 a 2. Na volta, jogando no estádio do Morumbi, novo empate, dessa vez em 0 a 0, e vitória argentina nos pênaltis por 4 a 2, além do título garantido.

No ano seguinte, Palmeiras e Boca Juniors se encontraram nas semifinais da competição continental. E assim como aconteceu em 2000, os dois confrontos terminaram empatados, ambos com o placar de 2 a 2 – a ida foi disputada na Argentina e a volta em São Paulo, com os argentinos levando a melhor nas penalidades (3 a 2) mais uma vez.

Este ano, no primeiro confronto das semifinais da competição continental, os xeneizes venceram por 2 a 0 e nesta quarta-feira (31) podem até perder por um gol de diferença para avançar. Ao Palmeiras resta reverter a desvantagem tendo que vencer por 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis ou mais gols para se classificar no tempo normal.