Fábio Carille revela como está a negociação para permanecer no Santos em 2022

Passado o sufoco, principalmente após o empate em 1 a 1 com o Internacional, no final de semana, o treinador disse que concentrou seu foco na permanência para a próxima temporada

  • Por Jovem Pan
  • 01/12/2021 12h07
GUSTAVO RABELO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDOFábio Carille comandando o Santos durante derrota diante do Atlético-MG

Fábio Carille revelou, nesta quarta-feira, 1º, que priorizou focar na luta contra o rebaixamento antes de pensar em seu futuro dentro do Santos. Passado o sufoco, principalmente após o empate em 1 a 1 com o Internacional, no final de semana, o treinador disse que concentrou seu foco na permanência para a próxima temporada. “Houve algumas conversas, sim, sei que já ligaram para o meu empresário tanto o Edu Dracena como o presidente. Mas eu mesmo evitei (o assunto) para ficar totalmente voltado para esse momento delicado que o Santos estava”, comentou o técnico, em entrevista ao canal “BandSports”.

Os resultados mais recentes fizeram a equipe da Vila deixar a zona de rebaixamento e até abrir certa distância da região de perigo na tabela. Ainda com dois jogos a disputar no Brasileirão, o Santos ocupa o 11º lugar na classificação. “Na verdade, acredito que agora dá para falar um pouquinho mais (sobre permanecer), apesar de eu ainda não querer, mas acho que é o momento. Está passando da hora, falta uns nove dias para terminar a temporada e vamos ver o que vai acontecer, como serão as conversas”, declarou Carille, confirmando seu desejo de permanecer no clube. “Já quero adiantar que não só eu como a comissão técnica toda está muito feliz. O Walmir (Cruz, preparador físico) já conhecia a casa e trabalhou antes no Santos e nós estamos muito felizes com o que aconteceu e com o que está acontecendo no ambiente”, afirmou.

A permanência de Carille no Santos será definida de forma informal porque seu contrato é do tipo CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), sem qualquer prazo de validade, como nos contratos de trabalhadores comuns. Não haveria maiores custos para ambas as partes em caso de saída, na forma de demissão. Se permanecer, não será necessário “renovar” o contrato. O “martelo” será batido pelo presidente Andres Rueda na companhia de Edu Dracena, executivo de futebol contratado pelo clube em outubro. Quando chegou ao Santos, o ex-zagueiro evitou falar sobre o futuro de Carille, mas indicou confiar no trabalho do treinador para acabar com as chances de rebaixamento do time.