Andrew Parsons festeja nova data da Paralimpíada: ‘Garante segurança aos atletas’

  • Por Jovem Pan
  • 30/03/2020 12h54
(Daniel Zappe/MPIX/CPB)Andrew Parsons é presidente do Comitê Paralímpico Internacional

O anúncio oficial da nova data dos Jogos Paralímpicos de Tóquio-2020, adiados na semana passada por conta da pandemia do novo coronavírus, foi comemorada nesta segunda-feira pelo brasileiro Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês). A Paralimpíada será disputada agora de 24 de agosto a 5 de setembro de 2021, no mesmo período que seria neste ano (25 de agosto a 6 de setembro)

O dirigente acredita que agora todos os envolvidos na competição terão mais tranquilidade para trabalhar. “As novas datas dão certeza aos atletas, aos patrocinadores e ao resto do mundo. A prioridade de todos no movimento paralímpico deve ser manter-se a salvo com famílias e amigos nesse momento sem precedentes. Vamos trabalhar com as federações internacionais e estabelecer novos critérios de qualificação, respeitando totalmente aqueles já classificados aos Jogos”, afirmou Parsons, em nota oficial divulgada pelo IPC nesta segunda-feira.

Entre os próximos detalhes a serem solucionados estão a confirmação dos locais de prova – os comitês responsáveis pelos Jogos precisarão renegociar contratos para utilização de estruturas acordadas para 2020 – e a situação dos ingressos que já haviam sido comercializados.

“É uma notícia fantástica podermos encontrar novas datas tão rapidamente para os Jogos de Tóquio-2020. As novas datas garantem segurança aos atletas, tranquilizam as partes interessadas e dá algo para o mundo inteiro esperar ansiosamente”, ressaltou o brasileiro, que destacou a importância da competição em 2021.

“Quando os Jogos Paralímpicos acontecerem em Tóquio no próximo ano, eles serão uma exibição extra e especial da humanidade, unindo-se como uma só, em uma celebração global da resiliência humana e uma sensacional demonstração do esporte. Com os Jogos Paraolímpicos de Tóquio-2020 a 512 dias, a prioridade para todos os envolvidos no movimento paralímpico deve ser o de manter a segurança com seus amigos e familiares durante este período sem precedentes e difíceis”, concluiu Parsons.

*Com informações do Estadão Conteúdo