“Se não fosse africano, seria considerado um dos melhores meias do mundo”, diz Yaya Toure

  • Por Jovem Pan
  • 19/04/2014 10h51
EFE Yaya Touré entra na briga contra caça ilegal de elefantes

O meio campo do Manchester City, Yaya Toure, estará na Copa do Mundo no Brasil com a Seleção da Costa do Marfim. Em entrevista à BBC, o atleta diz que há uma falta de reconhecimento de atletas como ele, Drogba e Eto’o, por serem africanos. “Para ser honesto, o devido reconhecimento só veio de fãs. Eu não quero ser duro e negativo, só honesto”.

► Concorra ao livro “Libertadores – Paixão que nos une”

Toure afirma que o reconhecimento da mídia é muito pequeno, e que os atletas africanos precisam se esforçar mais para demonstrar talento e ganharem elogios. Ele compara as atuações com Iniesta e Xavi, que recebem elogios por partirem para o ataque, e quando erram defensivamente, não são criticados. Por outro lado, se é ele quem comete os erros, a mídia dá destaque.  

Mesmo tendo atuado em grandes clubes da Europa, Tuore acredita que não é reconhecido no continente, diferente do que acontece com Messi e Cristiano Ronaldo na África, por exemplo. “Na Europa, se dizer o nome Yaya Toure, vão perguntar ‘quem é esse?’. Podem até saber o nome, mas não conhecem o rosto. Agora o Messi, na África, obviamente é reconhecido”.

Desapontado, ele afirma que seria considerado um dos melhores do mundo se não fosse africano, e ressalta: “Eu tenho muito orgulho de ser Africano, quero defender o povo africano e mostrar para o mundo que os jogadores africanos podem ser tão bons quanto os europeus e os sul-americanos”.