Após suspensão do Ministério da Saúde, Prefeitura de SP diz que vai manter vacinação de adolescentes

Secretaria de Saúde afirmou que a restrição imposta pelo governo federal é ‘apenas por questão logística’ e que imunizante da Pfizer é eficaz e seguro

  • Por Jovem Pan
  • 16/09/2021 14h30 - Atualizado em 16/09/2021 17h28
EVANDRO LEAL/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDOCapital paulista vai manter vacinação de adolescentes

A Prefeitura de São Paulo anunciou que vai manter a vacinação contra a Covid-19 para adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades. O Ministério da Saúde decidiu suspender a imunização deste grupo nesta quinta-feira, 16, alegando que a Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomenda a imunização de crianças e adolescentes. No entanto, a OMS diz apenas que a vacinação desta faixa etária não é prioritária. A pasta também citou a evolução benigna de casos de Covid-19 em adolescentes, os benefícios da vacina nesse público ainda não serem definidos com clareza, o risco, apesar de raro, de reações adversas, e a redução na média móvel de casos e óbitos no Brasil.

A Secretaria Municipal de Saúde da capital paulista afirmou que está ciente do comunicado do Ministério, mas que seguirá aplicando a primeira dose nos adolescentes por causa do estágio avançado da campanha de vacinação. O município já imunizou 84,4% da população de 12 a 17 anos com a primeira dose. “Restam, portanto, cerca de 15% para atingir a totalidade da cobertura vacinal desse grupo. Assim sendo, a Secretaria Municipal da Saúde não interromperá a imunização com doses de Pfizer para adolescentes sem comorbidade na capital”, diz o comunicado. A secretaria lembrou que a OMS recomenda a vacinação dos adolescentes acima de 12 anos com o imunizante da Pfizer, com indicação e aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “A SMS entende que a restrição imposta pelo governo federal é apenas por questão logística, pois trata-se de um imunizante eficaz, seguro e previamente autorizado”, declarou.