Paulo Gustavo, Marília Mendonça e Bruno Covas: Relembre as mortes que abalaram o Brasil e o mundo em 2021

O ano foi de muitas perdas como a dos atores Tarcísio Meira e Eva Wilma, dos políticos Levy Fidélix e Major Olímpio e de nomes que fizeram história no esporte como Frank Williams e Miguel de Oliveira

  • Por Jovem Pan
  • 30/12/2021 09h00 - Atualizado em 30/12/2021 10h37
Montagem/Jovem Pan Mortes 2021 Mortes de famosos, políticos e atletas deixaram o Brasil de luto em 2021

Assim como ano passado, 2021 foi marcado por grandes perdas. Famosos, políticos e atletas saíram de cena e muitas das mortes foram causadas por câncer e complicações relacionadas à Covid-19. Uma das vítimas do vírus foi o ator Paulo Gustavo, que teve o pulmão comprometido por causa da doença. A morte do artista aos 42 anos deixou o Brasil de luto, assim como a partida de Marília Mendonça, que não resistiu após sofrer um acidente aéreo. A ‘Rainha da Sofrência’ tinha 26 anos e deixou um filho, Léo, de 2. Outra morte precoce foi a de MC Kevin, aos 23 anos, que caiu do 5º andar de um prédio na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Na política também houve grandes perdas, como a do senador Major Olímpio, outra vítima da Covid-19, e a de Bruno Covas, que pouco antes de falecer precisou deixar a Prefeitura de São Paulo para tratar um câncer, mas não resistiu. Já no esporte, uma das mortes mais trágicas foi a da corredora queniana Agnes Jebet Tirop, que foi esfaqueada e encontrada sem vida em casa pelos vizinhos. Outra grande perda foi a do ex-piloto Frank Williams, fundador da Williams Racing, uma das maiores escudeiras da Fórmula 1.

Relembre as mortes que impactaram o Brasil em 2021:

Janeiro

Genival Lacerda

Genival Lacerda

Genival Lacerda morreu vítima da Covid-19 – Fonte: Reprodução/Instagram/cantorjoaolacerda

O cantor Genival Lacerda morreu aos 89 anos, vítima da Covid-19. Ele passou cerca de um mês internado e, nesse período, chegou a apresentar uma melhora clínica, mas acabou não resistindo ao tratamento. Em seus 68 anos de carreira, o paraibano, que ficou conhecido como o Rei da Munganga, emplacou sucessos como Severina Xique Xique e Radinho de Pilha.

Liber Gadelha

Liber Gadelha com Luiza Possi e o neto

Liber Gadelha era pai de Luiza Possi – Fonte: Reprodução/Instagram/libergadelha

O produtor musical Liber Gadelha foi outra vítima da Covid-19. Ele morreu cinco dias depois de completar 64 anos. Quem confirmou sua morte foi a cantora Luiza Possi, que é filha do músico com a cantora Zizi Possi. “É com uma dor imensa e o coração na mão que eu venho aqui hoje dizer que o nosso guerreiro descansou”, comunicou a artista na época. O produtor deixou sua marca no mercado fonográfico sendo responsável por lançar o cantor Vinny, que bombou no final dos anos 1990, e por impulsionar a venda de discos de Jorge Aragão.

Antônio Carlos de Almeida Braga

Antônio Carlos de Almeida Braga

Antônio Carlos de Almeida Braga era amigo de Ayrton Senna – Fonte: Reprodução/ Facebook/Ayrton Senna em Ação

O empresário Antônio Carlos de Almeida Braga morreu aos 94 anos, em Portugal. Ele deixou o Brasil no início da pandemia, pois estava com a saúde frágil. Além de ser um grande incentivador do esporte, ele teve destaque no setor financeiro. Antônio foi dono da seguradora Atlântica Boavista, que depois virou a Bradesco Seguros. Com o apoio que dava ao esporte, o empresário de tornou amigo de grandes nomes da área como Ayrton Senna, Pelé, Emerson Fittipaldi e Gustavo Kuerten. Ele foi casado por duas vezes e teve seis filhos.

Fevereiro

Zezinho Corrêa

Zezinho Corrêa

Zezinho Corrêa foi vocalista da banda Carrapicho – Fonte: Reprodução/Instagram/zezinhocorrea_oficial

O cantor Zezinho Corrêa, que fez parte da banca Carrapicho, morreu aos 69 anos devido à Covid-19. Após ser diagnosticado, ele passou mais de um mês internado e o anúncio da morte foi feito pela família do artista nas redes sociais: “O céu ganhou mais uma estrela que com sua luz brilhará para a eternidade. Obrigada por levar o nome do Amazonas para o mundo, obrigada por ser esse ser humano incrível em todos os sentidos”. A banda Carrapicho fez sucesso nos anos 1990 quando a música ‘Tic Tic Tac’ se tornou um hit.

Lula Pereira

Lula Pereira

Ex-jogador Lula Pereira sofreu um AVC – Fonte: Divulgação/Ceará SC

Lula Pereira, que foi jogador de futebol e técnico, morreu após sofrer um AVC. Ele tinha 64 anos e sua vida foi dedicada ao esporte. A carreira como jogador começou na década de 1970, sendo zagueiro no Sport e no Santa Cruz. Ele se aposentou dos gramados em 1980 jogando pelo Ceará, time do qual ele se tornou treinador posteriormente e conquistou títulos. Até hoje ele é considerado um dos maiores ídolos do clube. Lula também teve passagens pelo Flamengo, Botafogo-SP, Portuguesa e América-MG.

José Maranhão

Marcelo Camargo/Agência Brasil

José Maranhão foi senador na Paraíba – Fonte: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Senador na Paraíba, José Maranhão morreu aos 87 anos, por complicações da Covid-19. A internação aconteceu em João Pessoa no dia 29 de novembro do ano passado. No início de dezembro, ele foi transferido para a UTI do Hospital Vila Nova Star, que fica em São Paulo. O político passou meses hospitalizado, mas não resistiu ao tratamento e faleceu em fevereiro deste ano. O corpo foi enterrado na Paraíba, sua terra natal. Na política, ele foi senador mais de uma vez, governador por três vezes, além de vice-governador e deputado federal e estadual.

Paulo Egydio Martins

Paulo Egydio Martins

Paulo Egydio Martins foi governador de São Paulo – Fonte: Reprodução/YouTube

O ex-governador de São Paulo Paulo Egydio Martins foi outro político que morreu em fevereiro deste ano. Ele tinha 92 anos e a causa da morte não foi divulgada. O atual governador, João Doria (PSDB), chegou a comentar sobre o assunto em uma coletiva de imprensa que realizou após receber a notícia. “Paulo foi um grande governador do Estado de São Paulo. Fiquei muito sentido, muito triste, acabei de receber a noticia, e compartilho aqui com vocês, e também a minha solidariedade e os votos de pesar à família do ex-governador”, declarou.

Leon Spinks

Leon Spinks

Leon Spinks derrotou Muhammed Ali e conquistou o título mundial em 1978 – Fonte: EFE/EPA/JACK SMITH

Considerado uma lenda do boxe, Leon Spinks morreu aos 67 anos, vítima de um câncer de próstata. O ex-boxeador enfrentava a doença desde 2014 e, nesse período, descobriu tumores em outras partes do corpo. Antes de se destacar no esporte, Leon foi fuzileiro naval. Em 1976, ele conquistou uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. Depois, ele venceu uma luta contra o experiente Muhammed Ali e anos mais tarde foi derrotado em uma luta revanche. Após os altos e baixos da carreira, ele decidiu se aposentar do boxe aos 42 anos, mas ainda se arriscou na luta livre e no MMA.

Março

Léo Rosa

Léo Rosa

Léo Rosa fez várias novelas na Record e o último trabalho foi na Globo – Fonte: Reprodução/Instagram/leonardorosa____

O ator Léo Rosa morreu aos 37 anos, após uma luta contra o câncer. O artista descobriu a doença em 2018 e logo começou seu tratamento, o problema é que o câncer nos testículos se espalhou para outras áreas do corpo. Além das sessões de quimioterapia, ele também buscou por tratamentos alternativos e até se mudou para uma casa onde conseguia ter mais contato com a natureza. O último trabalho do ator na televisão foi uma participação que fez em “Amor de Mãe”, novela da Globo que teve as gravações interrompidas na pandemia.

Major Olímpio

Major Olimpio discursa na tribuna do Senado

O senador Major Olímpio morreu vítima da Covid-19 – Fonte: Reprodução/Agência Senado

O senador Major Olímpio morreu aos 58 anos, por complicações da Covid-19. Ele foi diagnosticado com a doença no começo de março e, mesmo doente, chegou a participar de uma sessão do Senado no leito hospitalar. Depois disso, o político piorou e precisou ser intubado. Ele reagiu ao tratamento e, ao apresentar uma melhora, foi extubado. No entanto, o quadro de saúde do senador voltou a piorar e ele precisou ser intubado novamente e, desta vez, não voltou a se recuperar e teve uma morte cerebral. Após o anúncio de sua morte, ele recebeu diversas homenagens.

Irmão Lázaro

irmão lázaro

Irmão Lázaro foi político e fez sucesso como cantor gospel – Fonte: Reprodução/Agência Câmara de Deputados

Outra figura pública que morreu em decorrência da Covid-19 foi o vereador de Salvador e cantor gospel Irmão Lázaro. Ele passou cerca de um mês internado na UTI, mas não resistiu à doença. O cantor tinha 54 anos e começou a carreira na banda Olodum, entretanto ele só ficou conhecido na música quando decidiu seguir carreira no gênero gospel. Na política, Lázaro ingressou em 2014 e conseguiu se eleger a Câmara dos Deputados como o terceiro candidato mais votado do Estado. Em 2016, o político virou Secretário de Relações Institucionais da prefeitura de Salvador.

Gilmar Fubá

Facebook/Reprodução

Gilmar Fubá jogou como volante no Corinthians – Fonte: Reprodução/Facebook

O ex-jogador do Corinthians Gilmar Fubá morreu aos 45 anos, vítima de um câncer de medula óssea. Ele descobriu a doença em 2016 já em estágio avançado. Na época, ele precisou ficar um mês internado no Hospital São Luiz, em São Paulo. O ex-volante chegou a se curar da doença, mas em janeiro de 2020 foi diagnosticado com câncer novamente. O Corinthians, time em que o ex-jogador se destacou, lamentou sua morte nas redes sociais e o definiu como um trunfo para o clube conquistar um Paulistão, dois Campeonatos Brasileiros e o Mundial de Clubes de 2000.

Abril

Agnaldo Timóteo

Agnaldo Timóteo usando uma camiseta azul e cantando

Agnaldo Timóteo não resistiu às complicações da Covid-19 – Fonte: Reprodução/TV Brasil

O cantor Agnaldo Timóteo morreu aos 84 anos, por complicações da Covid-19. O artista foi internado na UTI em março e, ao apresentar uma piora, precisou ser intubado. Ele já tinha tomado as duas doses da vacina contra a Covid-19 e os médicos disseram acreditar que ele foi infectado no intervalo entre a primeira e a segunda dose. Agnaldo começou a cantar ainda criança e participava de programa de calouros das rádios locais de Caratinga, Minas Gerais. O álbum “Obrigado Querida”, de 1967, foi um dos maiores sucessos da sua carreira, assim como o hit Meu Grito. Ele também se aventurou na política e se elegeu como deputado federal e vereador.

Ana Lucia Menezes

Ana Lucia Menezes sorrindo e fazendo um coração com a mão

Ana Lucia Menezes dublou diversas animações e famosos seriados de TV – Fonte: Reprodução/Instagram/analuciamenezesoficial

Conhecida por dublar personagens de produções como “Peppa Pig”, “Rebelde” e “Todo Mundo Odeia o Chris”, Ana Lucia Menezes morreu aos 45 anos, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Quando estava internada, ela chegou a gravar um vídeo falando do seu estado de saúde para os seguidores, mas depois disso precisou ser sedada. A filha da profissional, a também dubladora Bia Menezes, foi quem deu a notícia aos fãs. “Você escreveu uma história aqui, e eu terei a obrigação de continuá-la porque sei que seria exatamente como você gostaria que eu fizesse. Você lutou até o último minuto, agora é hora de descansar e usufruir do que Deus preparou para ti. Eu te amo e sempre te amarei”, escreveu na ocasião.

Levy Fidélix

Homem discursa com bandeira do Brasil ao fundo

Levy Fidelix ficou conhecido pelo projeto do aerotrem, que nunca saiu do papel – Fonte: Reprodução/ Flickr/PRTB

Político e empresário, Levy Fidélix foi mais uma vítima da Covid-19. Ele tinha 69 anos e foi internado em março, em São Paulo, após ser diagnosticado com a doença. Levy ficou conhecido por sempre falar do seu projeto denominado aerotrem, que visava implementar um trem-bala que ligaria Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro. Em 2018, ele concorreu ao cargo de deputado federal em São Paulo, mas não foi eleito, assim como em 2020, quando disputou as eleições para assumir o cargo de prefeito de São Paulo. O empresário era formado em Comunicação Social e atuou como jornalista antes de ingressar na política, o que aconteceu em 1986. Nesse período de carreira pública, ele tentou a presidência por duas vezes.

Maio

Paulo Gustavo

Paulo Gustavo

Paulo Gustavo ficou quase dois meses internado após pegar Covid-19 – Fonte: Reprodução/Instagram/paulogustavo31

A morte do ator Paulo Gustavo foi uma das mais impactantes. O intérprete de Dona Hermínia tinha 42 anos e passou quase dois meses internado na UTI lutando contra as consequências da Covid-19. Após ser intubado, o artista não apresentou melhora e foi submetido a uma terapia por ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), como uma tentativa de recuperação da função pulmonar, que foi comprometida pelo vírus. Mesmo com o todo o esforço da equipe médica, Paulo Gustavo não resistiu. O artista recebeu inúmeras homenagens, virou nome de rua em Niterói e ganhou estátuas em um parque local. A missa de sétimo dia aconteceu no Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Ele era casado com Thales Bretas e pai de Gael e Romeu.

Cassiano

compositor cassiano

Cassiano compôs a música ‘Primavera’, cantada por Tim Maia – Fonte: Reprodução/ Twitter/emicida

O cantor Cassiano, que compôs a música Primavera, morreu no Rio de Janeiro, aos 77 anos. A causa da morte não foi divulgada, apenas que ele estava internado desde o início de abril. A morte do compositor foi lamentada por diversos famosos, como o rapper Emicida e o cantor Djavan. Além de Primavera, Cassiano é autor de Eu Amo Você, outro hit que fez sucesso na voz do cantor Tim Maia.

Eva Wilma

Eva Wilma

Atriz Eva Wilma morreu por insuficiência respiratória – Fonte: Reprodução/Instagram/evawilmaoficial

A atriz Eva Wilma morreu aos 87 anos, após ter uma insuficiência respiratória relacionada à disseminação de um tumor. A artista tratava um câncer no ovário. Em janeiro deste ano, ela foi internada com um quadro de pneumonia leve e em abril foi internada novamente para tratar de problemas renais e cardíacos. Logo depois, veio o diagnóstico de câncer. Eva Wilma se consagrou como um dos grandes nomes da teledramaturgia brasileira e esteve no elenco de sucessos como “Meu Pé de Laranja Lima”, “A Indomada”, “Pedra Sobre Pedra” e “O Rei do Gado”. Na primeira versão de “Mulheres de Areia” foi ela quem deu vida às gêmeas Ruth e Raquel, que anos depois foram interpretadas por Glória Pires.

Bruno Covas

prefeito de São Paulo, Bruno Covas

Bruno Covas deixou a prefeitura de São Paulo pouco antes de morrer – Fonte: WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO

O prefeito de São Paulo Bruno Covas morreu aos 41 anos, após uma luta contra um câncer no sistema digestivo, com metástase óssea. Pouco antes de falecer, ele precisou se licenciar da prefeitura para focar no seu tratamento, e Ricardo Nunes assumiu seu posto. No início de maio, ele precisou ser internado e foi descoberto um sangramento interno causado por uma úlcera que estava acima do tumor. O político precisou ser intubado, mas se recuperou e começou um novo tratamento contra o câncer, mas seu quadro se agravou e ele não resistiu. O diagnóstico da doença aconteceu em 2019 em uma consulta que fez para tratar uma infecção de pele. Ele deixou um filho, Tomás, que tinha 15 anos na época da morte do pai.

MC Kevin

MC Kevin sem camisa sorrindo e com o mar de fundo

MC Kevin morreu aos 23 anos após cair de um prédio – Fonte: Reprodução/Instagram/val.negra

Maio foi um mês complicado e outra morte que pegou o Brasil de surpresa foi a do cantor MC Kevin, que tinha 23 anos. O funkeiro caiu do 5º andar de um prédio localizado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, ao tentar pular de uma varanda para outra. A morte foi investigada, mas a polícia concluiu que foi um acidente. O funk ficou de luto e até hoje o cantor recebe homenagens nas redes sociais. Após a morte do artista, houve troca de farpas entre Deolane Bezerra, viúva de Kevin, e MC VK, amigo do cantor que estava com ele no momento do acidente. VK chegou a ser investigado, mas foi inocentado e disse que seu maior erro foi não ter procurado pela mãe do artista, Valquíria Nascimento, após a morte de Kevin.

Dominguinhos do Estácio

Dominguinhos do Estácio com um microfone cantando

Dominguinhos do Estácio fez sucesso no carnaval carioca – Fonte: Reprodução/Instagram/dominguinhosestacio.oficial

O sambista Dominguinhos do Estácio morreu aos 79 anos, em Niterói. O artista teve uma hemorragia cerebral e passou por uma cirurgia de emergência que correu bem, mas ele teve problemas no pós-operatório e não resistiu. A carreira na música começou em 1960, na escola de samba Unidos de São Carlos, que depois passou a ser chamada de Estácio de Sá. Ele também passou pela escola Imperatriz Leopoldinense e interpretou o famoso samba-enredo “Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós”.

Nelson Sargento

Sambista Nelson Sargento posa sério com a mão no queixo

Nelson Sargento morreu após testar positivo para a Covid-19 – Fonte: CLAUDIA MARTINI/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO

Nelson Sargento foi outra grande perda para o samba. O presidente de honra da escola de samba Mangueira morreu aos 96 anos, de Covid-19. Ele foi internado com um quadro de “desidratação, anorexia e significativa queda do estado geral” e, ao fazer o teste, descobriu que estava com o vírus. Em 2005, ele foi diagnosticado com um câncer de próstata, mas conseguiu se curar. O sambista já tinha tomado as duas doses da vacina. Um dos grandes destaques da sua carreira foi a composição do samba-enredo Primavera, também conhecido como As Quatro Estações, junto com Alfredo Português.

André Ribeiro

Andre Ribeiro de uniforme vermelho da Fórmula 1, boné preto, sorrindo e segurando uma bandeira do Brasil

André Ribeiro morreu vítima de um câncer no intestino – Reprodução/Twitter/Fórmula Indy Oficial

O ex-piloto André Ribeiro morreu aos 55 anos, vítima de câncer no intestino. Nas redes sociais da Fórmula Indy, ele foi definido como “um piloto que fez história, um gentleman, um apaixonado pela velocidade”. A carreira de piloto começou aos 19 anos, quando ele decidiu investir no kart. Ele foi vice-campeão por três anos seguidos e venceu duas vezes a prova Duas Horas de Interlagos, na década de 1980. Depois disso, ele foi para a Europa, competiu na Fórmula 3 e se destacou na Fórmula Indy. André deixou três filhas.

Januário de Oliveira

Januário de Oliveira, locutor esportivo

Januário de Oliveira fez sucesso criando bordões – Fonte: Reprodução/Twitter/Botafogo

O locutor esportivo Januário de Oliveira morreu aos 81 anos, em Natal, no Rio Grande do Norte. Ele tinha diabetes e sofria há anos com problemas relacionados à doença, incluindo a perda da visão. Januário passou 11 dias internado tratando uma pneumonia e, nesse período, teve uma parada cardíaca. Na carreira de locutor, ele deixou sua marca, criou bordões como “Cruel, muito cruel” e “Tá lá um corpo estendido no chão”. Ele também tinha o costume de colocar apelidos nos jogadores. Januário fez sucesso nas rádios gaúchas e na TV teve destaque na Band.

Jaime Lerner

arquiteto Jaime Lerner

Jaime Lerner morreu em Curitiba, aos 83 anos – Fonte: Estadão Conteúdo/Arquivo

O ex-governador do Paraná e arquiteto e urbanista Jaime Lerner morreu aos 83 anos, em Curitiba. Ele testou positivo para a Covid-19 em março deste ano, mas a morte foi causada por complicações relacionadas a uma doença renal crônica. A morte do arquiteto foi lamentada por diversos políticos. Jaime ficou conhecido internacionalmente por implantar um sistema integrado de transporte público na capital paraense.

Junho

Artur Xexéo

Artur Xexéo

Artur Xexéo morreu duas semanas após descobrir um linfoma – Fonte: Reprodução/Globonews

O escritor e jornalista Artur Xexéo morreu aos 69 anos, duas após ser diagnosticado com um linfoma. Ele chegou a fazer uma sessão de quimioterapia, mas passou mal horas depois. No dia seguinte, ele teve uma parada cardiorrespiratória que foi revertida, mas não resistiu. O jornalista participava do “Estúdio i”, na GloboNews, e todos os anos fazia a cobertura do Oscar junto com Maria Beltrão, na Globo. Entre seus trabalhos, Artur escreveu a biografia da apresentadora Hebe e assinou a versão nacional do musical “A Cor Púrpura”. Artur viveu um relacionamento de mais de 30 anos com Paulo Severo.

Julho

Orlando Drummond

orlando drummond

Orlando interpretou Seu Peru na ‘Escolinha do Professor Raimundo’ – Fonte: Reprodução/Instagram/Orlando Drummond

O ator e dublador Orlando Drummond morreu aos 101 anos em casa, após ter uma falência múltipla de órgãos. Em maio, o artista foi internado no Rio de Janeiro com uma grave infecção urinária, mas conseguiu se recuperar. Orlando ficou conhecido nacionalmente por interpretar o cômico Seu Peru, personagem da primeira versão da “Escolinha do Professor Raimundo”. Ele também deu voz aos personagens Scooby Doo, Popeye, Gargamel e Alf.

Agosto

Paulo José

Paulo José

Paulo José tinha 84 anos e morreu por pneumonia – Fonte: Divulgação/Globo/Alex Carvalho

Após quase um mês internado em um hospital do Rio de Janeiro, o ator Paulo José morreu aos 84 anos, com um quadro de pneumonia. O artista fez história na televisão brasileira e esteve no elenco de várias novelas da Globo, sendo sua última participação na trama “Em Família”, de 2014. Depois disso, ele acabou sendo afastado da TV por sofrer de Parkinson. No cinema, ele teve destaque no filme “O Palhaço”, dirigido por Selton Mello, em 2011. A trajetória profissional de Paulo pode ver vista no documentário “Todos os Paulos do Mundos”, lançado em 2017. Ele deixou a mulher e quatro filhos.

Tarcísio Meira

Tarcísio Meira sorrindo

Tarcísio Meira recebeu homenagens de diversos famosos – Fonte: Reprodução/Globo

A teledramaturgia também perdeu em 2021 o ator Tarcísio Meira. Ele tinha 85 anos e em agosto foi internado com Covid-19. Glória Menezes, que foi casada com Tarcísio por mais de 60 anos, também foi infectada, mas conseguiu se recuperar. O ator, no entanto, ficou na UTI e mesmo com apoio de ventilação mecânica invasiva e diálise contínua, não resistiu. Um dos grandes marcos da sua carreira foi a novela “Irmãos Coragem”. Ele também fez parte do elenco de sucessos como “Guerra dos Sexos”, Torre de Babel”, “O Rei do Gado”, “A Muralha” e “O Beijo do Vampiro”. Ele era pai de Tarcísio Filho.

Setembro

Sérgio Mamberti

Créditos: Globo/Alex Carvalho

Sérgio Mamberti viveu o vilão Dionísio em ‘Flor do Caribe’ – Fonte: Divulgação/Globo/Alex Carvalho

O ator Sérgio Mamberti morreu aos 82 anos, devido a uma infecção pulmonar. Em julho, o artista foi internado para tratar uma pneumonia, mas após 15 dias recebeu alta. Entre seus personagens marcantes estão o Doutor Victor, do infantil “Castelo Rá Tim Bum”, que marcou gerações sendo exibido na TV Cultura, e o mordomo Eugênio, de “Vale Tudo”. Durante a pandemia, ele pode ser visto na reprise de “Flor do Caribe”. Já no streaming, ele interpretou Matheus na série “3%”, da Netflix. Antes de morrer, ele lançou sua autobiografia, chamada “Sérgio Mamberti: Senhor do Meu Tempo”.

Marina Miranda

Marina Miranda

Marina Miranda morreu aos 90 anos – Fonte: Reprodução/Instagram/sylviamirandaoficial

Outra artista que saiu de cena este ano é Marina Miranda. A atriz, que tinha Alzheimer, estava internada com infecção urinária, e segundo sua filha Sylvia Miranda, ela também teve um problema pulmonar. Marina tinha 90 anos. A carreira na TV começou na década de 1950 e, anos depois, já na década de 1990, teve destaque na “Escolinha do Professor Raimundo” com a personagem Dona Mandala/Charanga. A atriz também integrou o elenco das novelas “A Gata Comeu”, “Vereda Tropical” e “Dancin Days”.

Jean-Pierre Adams

Jean-Pierre Adams morreu na manhã desta segunda-feira, 6

Jean-Pierre Adams morreu por um erro em uma cirurgia – Fonte: Reprodução/PSG

Jean-Pierre Adams, que na década de 1970 foi zagueiro da seleção francesa, morreu aos 73 anos, após aplicarem uma dosagem errada de uma anestesia durante uma operação que o ex-atleta faria no joelho. O ex-jogador no Senegal e foi para a França quando tinha 10 anos. Em sua trajetória no futebol, ele jogou nos times Nimes Olympique, Nice, Paris Saint-Germain, Mulhouse e Chalonnais.

Outubro

Caike Luna

 

Caike Luna como Cleitom

Caike Luna viveu Cleitom no ‘Zorra Total’ – Fonte: Reprodução/Globo

O ator Caike Luna morreu aos 42 anos, após anunciar, em abril deste ano, que estava com câncer. Na época, o artista publicou nas redes sociais que colocaria um “cateter para iniciar um tratamento contra um Linfoma não Hodgkin”. Meses depois, a morte foi divulgado pela atriz Katiuscia Canoro, com quem Caike contracenou no “Zorra Total”. Foi justamente no extinto humorístico da Globo que ele ficou conhecido em todo o Brasil por interpretar o personal stylist Cleitom, que acompanhava a famosa Lady Kate, dona do bordão “Tô pagando”, interpretada por Katiuscia.

Gilberto Braga

Edgar Moura Brasil, Gilberto Braga

Edgar Moura Brasil e Gilberto Braga viveram um relacionamento de 49 anos – Fonte: Reprodução/Instagram/edgarmourabrasil

O autor de novelas Gilberto Braga morreu aos 75 anos, por não resistir a uma infecção sistêmica após perfuração do esôfago. As obras escritas por Gilberto, que sofria de Alzheimer, fizeram sucesso na Globo, sendo ‘Dancin’ Days’, ‘Vale Tudo’ e ‘Celebridade’ seus maiores sucessos. Além disso, o autor também ganhou o Emmy Internacional por ‘Paraíso Tropical’, que ocupou o horário nobre da emissora carioca. Gilberto era casado com o decorador Edgar Moura Brasil e o relacionamento deles durou quase 50 anos.

Miguel de Oliveira

Miguel de Oliveira, campeão mundial de boxe em 1975, morreu nesta sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Miguel de Oliveira foi campeão mundial de boxe em 1975 – Fonte: Reprodução/Instagram/ciaathleticakansas

O campeão mundial de boxe Miguel de Oliveira morreu aos 74 anos, de câncer no pâncreas, que descobriu cerca de três meses antes de falecer. Ele deixou sua marca no boxe e é considerado um dos melhores atletas que o Brasil já teve. Ao longo de sua carreira, Miguel somou 45 vitórias, sendo 28 por nocaute, apenas cinco derrotas e um empate. Ele se aposentou dos ringues em 1980 e passou a trabalhar como treinador.

Agnes Jebet Tirop

Agnes Tirop, estrela olímpica e recordista mundial pelo Quênia, foi assassinada a facadas

Agnes Tirop, recordista mundial pelo Quênia, foi assassinada a facadas – Fonte: REUTERS/Ibraheem Al Omari/File Photo

Uma das mortes mais trágicas do ano foi a da atleta Agnes Jebet Tirop. Ela foi encontrada morta aos 25 anos, por vizinhos que escutaram barulhos na sua casa. O corpo dela estava com sinais de facadas. O caso passou a ser investigado e o principal suspeito é o viúvo da queniana, o policial Ibrahim Rotich. Em novembro, ele prestou depoimento e se declarou inocente. Tirop levou medalha de bronze no último mundial de 10 km em provas de rua e foi a quarta colocada nos 5.000 m nas Olimpíadas de Tóquio-2020.

Novembro

Marília Mendonça

Marília Mendonça

Marília Mendonça morreu em um acidente aéreo – Fonte: Reprodução/Instagram/mariliamendoncacantora

A repentina e trágica morte da cantora Marília Mendonça deixou o Brasil e a música sertaneja de luto. O avião em que a artista de 26 anos estava caiu em Caratinga, no interior de Minas Gerais, e todos a bordo faleceram. O velório da cantora aconteceu na Goiânia Arena e contou com a presença de inúmeros fãs e famosos como Maiara e Maraisa, Henrique e Juliano, Luísa Sonza, Fernando Zor (dupla de Sorocaba), Jorge (dupla de Mateus), Naiara Azevedo e Mateus e Kauan. Chamada de ‘Rainha da Sofrência’, a compositora dos hits Infiel e Todo Mundo Vai Sofrer foi um dos nomes principais do movimento “feminejo” e a força das suas composições foi o que fez a cantora se tornar uma referência no gênero sertanejo como um todo. Marília deixou um filho, Léo, que acabou de completar dois anos, e é fruto do seu relacionamento com o cantor Murilo Huff.

Nelson Freire

Nelson Freire

Pianista Nelson Freire morreu aos 77 anos, no Rio de Janeiro – Fonte: Reprodução/Instagram/simoneleitaopiano

O pianista Nelson Freire morreu aos 77 anos em sua casa, no Rio de Janeiro. A causa da morte não foi divulgada. O músico foi um dos mais renomados artistas brasileiros e seu talento fez com ele se apresentasse nos principais palcos do mundo. Nelson passou por uma cirurgia no ombro em 2019, pois sofreu um acidente durante uma caminhada. Ele retornaria aos palcos em 2020, mas a pandemia fez com que seus recitais fossem cancelados, assim como sua participação como jurado no Concurso Chopin de Varsóvia.

Frank Williams

Frank Williams

Fundador da Williams, Frank faleceu aos 79 anos – Fonte: Reprodução/Twitter/WilliamsRacing

Frank Williams, ex-piloto e fundador da Williams Racing, uma das maiores escuderias da Fórmula 1, morreu aos 79 anos, na Inglaterra. A causa da morte não foi divulgada. Ele deixou três filhos. O britânico foi homenageado nas redes sociais da F1: “Sentimos a mais imensa e profunda tristeza pelo falecimento de Sr. Frank Williams. Sua vida foi movida pela paixão pelo automobilismo; seu legado é incomensurável e fará parte da F1 para sempre. Conhecê-lo foi uma inspiração e um privilégio. Ele fará muita falta”.

Dezembro

Noemi Gerbelli

 

Noemi Gerbelli

Noemi Gerbelli fez sucesso como a diretora Olívia de Carrossel – Fonte: Divulgação/SBT

A atriz Noemi Gerbelli morreu aos 68 anos, vítima de uma embolia pulmonar. A artista ficou marcada como a diretora Olívia, da versão brasileira da novela “Carrossel”, que foi exibida no SBT entre 2012 e 2013. Com mais 40 anos de carreira, a atriz participou de diversas produções na TV e no teatro. Em sua passagem pela Globo, ela esteve no elenco das séries “Presença de Anita” e “Os Normais” e nas novelas “Esperança” e “Deus Salve o Rei”. As atrizes Larissa Manoela e Maisa prestaram homenagens e agradeceram os ensinamentos de Noemi, que era chamada pelas crianças de Nonô, na época de “Carrossel”.

Mila Moreira

Mila Moreira

Mila Moreira morreu, aos 72 anos, após ter um mal súbito – Fonte: Divulgação/Globo

A atriz Mila Moreira morreu aos 72 anos, no Rio de Janeiro. A morte da artista foi lamentada por diversos famosos e, em sua despedida, a atriz Lilia Cabral contou que a amiga não estava doente e teve um mal súbito. Mila participou de várias novelas da Globo e esteve no ar recentemente na reprise de “Ti Ti Ti”, no “Vale a Pane Ver de Novo”.

Maurílio

Maurílio sorrindo

Maurílio estou no Brasil com Luiza cantando ‘S de Saudade’ – Fonte: Reprodução/Instagram/mauriliolem

O sertanejo teve outra grande perda em 2021. O cantor Maurílio, que fazia dupla com Luiza, morreu, aos 28 anos, após o agravamento de uma tromboembolia pulmonar. O artista deu entrada no hospital no dia 15 de dezembro com dores no peito e dificuldade para respirar. Enquanto recebia os primeiros atendimentos, ele sofreu paradas cardíacas e foi internado na UTI, permanecendo entubado, sob ventilação mecânica, sedado e em hemodiálise contínua. Maurílio era casado com Luana Ramos.