Reforma da Previdência: Marinho diz que ‘não há decretação de sigilo, dados são públicos’

  • Por Jovem Pan
  • 22/04/2019 18h19
Marcelo Camargo/Agência BrasilRogério Marinho está otimista com a votação: "Nunca vi clima tão favorável dentro do parlamento"

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, negou, nesta segunda-feira (22), que há decretação de sigilo sobre o detalhamento dos dados da reforma da Previdência. Segundo ele, os dados que embasaram a apresentação da proposta são públicos e estão no Congresso desde 2017.

Marinho disse também que a equipe econômica irá refinar os números para levá-los à comissão especial de mérito e que o governo ainda vai tentar negociar pontos polêmicos com o Congresso.

“Não há decreto de sigilo nem hoje, nem ontem nem amanhã. Queremos apresentar os dados refinados, desagregados. Mas o banco de dados contempla mais de 3 mil abas, são milhões de números que precisam ser compatibilizados para permitir maior nitidez para a ocasião do mérito da proposta”, afirmou à Rádio Globo.

Ele declarou, ainda, que o governo não admite que haja “jabutis” no texto, ou seja, trechos de assuntos alheios à reforma da Previdência ou colocados na proposta para que haja margem para cortes na negociação. O secretário está otimista para a votação – que, ao que tudo indica, irá ocorrer nesta terça-feira (23).

“Nunca vi clima tão favorável dentro do parlamento e um tema tão amadurecido. É evidente que o grau de dificuldade de tramitação desse projeto é muito maior que qualquer outro”.

Na tarde desta segunda (22), parlamentares da oposição disseram que tentariam impedir a votação do parecer da reforma da Previdência por falta de “divulgação dos dados detalhados” que embasam a proposta.

* Com informações da Agência Estado