Casal marroquino e filha de 4 anos viajaram à Síria para se unir ao EI

  • Por Agencia EFE
  • 02/04/2015 14h11

Rabat, 2 abr (EFE).- Um casal de jovens marroquinos e sua filha de quatro anos viajaram em março para Síria a fim de se unir às fileiras do Estado Islâmico (EI), informou nesta quinta-feira o Observatório do Norte de Direitos Humanos (ONDH).

Segundo a ONG, além do casal -o homem de 33 anos e sua mulher de 23 anos- também viajaram à Síria e Iraque outras três pessoas, entre elas o funcionário que trabalhava no Tribunal de Primeira Instância de Tetouan e um amigo.

No mês passado, o ONDH já havia informado que o funcionário, de 25 anos, aproveitou uma viagem organizada à Turquia, onde supostamente ia para passar férias, para desde ali atravessar a fronteira e entrar na Síria.

As seis pessoas que abandonaram o Marrocos no mês passado são da cidade de Tetouan, situada no norte do país, e de localidades próximas, e todas empreenderam a viagem desde o aeroporto internacional Mohammed V de Casablanca.

Ontem mesmo, a polícia marroquina desmantelou uma célula terrorista em Fez, no centro do país, que havia recrutamento e envio de voluntários ao Iraque e Síria para combater nas fileiras do EI.

Além disso, no dia 23 de março, a polícia marroquina desmantelou outra célula que se chamava Estado Islâmico no Magrebe al-Aqsa-Descendentes de Youssef ben Tachfine, ativa em nove cidades do país.

Segundo as estatísticas oficiais, um total de 1.354 marroquinos combatem nas fileiras de grupos terroristas nas zonas de tensão, dos quais 246 morreram na Síria e 40 no Iraque, e outras 156 pessoas voltaram ao Marrocos. EFE