Comissão Europeia adotará medidas para evitar propagação da gripe aviária

  • Por Agencia EFE
  • 17/11/2014 12h19

Bruxelas, 17 nov (EFE).- A Comissão Europeia (CE) deve adotar nesta segunda-feira medidas para evitar a propagação dos focos de gripe aviária detectados em uma exploração em Utrecht (Holanda) e em uma fazenda do norte da Inglaterra, informou o Executivo comunitário.

O porta-voz comunitário Enrico Brivio disse na entrevista coletiva diária da CE que tanto na Holanda como no Reino Unido “foram seguidos todos os protocolos” previstos quando se detecta um foco de gripe aviária, e que Bruxelas considera que as medidas adotadas pelas autoridades de ambos países “são adequadas”.

“A CE tem que adotar uma decisão sobre ambos os casos”, indicou o porta-voz, que acrescentou que provavelmente nesta quinta-feira haverá, além disso, uma reunião de técnicos dos Estados-membros para revisar a situação.

Brivio acrescentou que ainda não é conhecida a fonte da contaminação em nenhum dos dois casos, e que “é provável que proceda das aves migratórias, ou seja de aves selvagens”.

O porta-voz também disse que há diferenças entre um país e outro, já que no caso dos Países Baixos existe “uma grande densidade de aves” na zona onde se produziu o foco infeccioso, enquanto no caso do norte da Inglaterra, trata-se de uma zona onde não há tanta densidade de atividade.

Fontes da UE explicaram que no caso da Holanda, as medidas a adotar incluirão a proibição temporária da exportação de aves e ovos desde os Países Baixos a outros Estados- membros ou terceiros países.

As autoridades dos Países Baixos informaram ao Executivo comunitário em 15 de novembro sobre a detecção de um foco de gripe aviária altamente patógena.

“A Holanda adotou com caráter imediato as medidas exigidas na legislação europeia, que incluem o sacrifício e a destruição de todos os animais de exploração, a limpeza e a desinfecção, assim como o estabelecimento de zonas de proteção e vigilância”, disseram fontes europeias.

As fontes precisaram, além disso, que a decisão que será adotada hoje faz parte do procedimento padrão comunitário aplicável nestes casos.

Em particular, essa decisão “descreve as zonas estabelecidas pelas autoridades holandesas ao redor da fazenda infectada, com restrições de movimento, incluindo a proibição de vender a outros Estados-membros e a terceiros países”.

As medidas serão aplicadas “aos animais vivos, os ovos, a carne de ave e outros produtos”, tal como prevê a legislação correspondente.

“A CE está em contato constante com as autoridades dos Países Baixos, que lhe mantêm informada de maneira permanente sobre a situação e as medidas de controle adotadas”, explicaram as fontes.

A direção aplicável para casos de detecção de um foco de gripe aviária altamente patogênica em frangos ou outras aves em cativeiro estabelece as medidas de controle mínimas que devem ser aplicadas e regula o estabelecimento de zonas de proteção e vigilância. EFE