Diretores latino-americanos buscam formas de colaborar com imprensa europeia

  • Por Agencia EFE
  • 02/06/2015 16h43

Valência (Espanha), 2 jun (EFE).- Diretores e jornalistas de veículos de comunicação latino-americanos defendem o uso de outras formas de colaboração com a imprensa europeia, nas quais além de transmitir informações da América Latina também seja agregada a liberdade de expressão.

Assim disse o vice-presidente de informação do jornal “El Universal” da Venezuela, Elides Rojas, em uma mesa-redonda durante o segundo Congresso CELAC-UE de diretores de mídia, que também contou com a participação do presidente da Agência EFE, José Antonio Vera.

Em discurso, Rojas declarou que a reflexão interna neste momento, além do “fastio” pela situação de “asfixia” vivida pelos veículos de comunicação – na qual o jornalismo teve que entrar “em modo sobrevivência” -, deve incluir novos projetos, como o que foi lançado pelo “El Universal”.

O objetivo é que, além de colaborar com a imprensa europeia na transmissão de notícias, possam existir canais de vídeos colaborativos que agreguem liberdade de expressão às informações, por exemplo.

O presidente da Agência Efe, José Antonio Vera, ressaltou a forte demanda na Europa de informação sobre a América Latina, onde se passou do interesse por notícias relacionadas a situações de emergência e guerra ao interesse pela evolução econômica e os avanços da região.

Vera ressaltou a vocação transatlântica da Efe, que está na América a 50 anos e com a filosofia de ser uma agência internacional, mas ao mesmo tempo local. Em seguida, pediu aos diretores que continuem acreditando nas agências de notícias estabelecidas tanto na América como na Europa, no caso da Efe há 75 anos.

Conforme lembrou, a Agência Efe nasceu na Espanha, mas se sente profundamente americana e possui delegações em toda a América, não apenas nas capitais, e ressaltou que a troca de informação entre América e Europa é “muito potente e abundante”. EFE

lb/vnm