Bolsa recua 14,78% e tem maior queda diária em quase 22 anos

  • Por Jovem Pan
  • 12/03/2020 17h47 - Atualizado em 12/03/2020 18h18
PixabayO Ibovespa recuou 14,78%, a 72.582 pontos, para o patamar mais baixo desde 28 de junho de 2018

A Bolsa de Valores registrou nesta quinta-feira (12) a maior queda diária em quase 22 anos. As negociações chegaram a ser suspensas duas vezes nesta sessão, o que não acontecia desde a crise de 2008.

O Ibovespa recuou 14,78%, a 72.582 pontos, patamar mais baixo desde 28 de junho de 2018 (71.766 pontos). Foi a maior queda diária desde 10 de setembro de 1998, quando despencou 15,82%, e o mundo lidava com os efeitos da crise da Rússia.

Por volta das 10h22, pouco após a abertura do mercado, o circuit breaker foi acionado pela terceira vez na semana, paralisando as negociações por meia hora. Depois, por volta das 11h12, foi feita a segunda interrupção do dia — e quarta da semana –, quando o Ibovespa recuou 15,43%, a 72.026 pontos. A paralisação foi de uma hora.

Já o dólar bateu em R$ 5 logo pela manhã. O Banco Central fez quatro leilões ao longo do dia e trouxe alívio ao mercado. A decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de injetar US$ 1,5 trilhão também ajudou, mas, mesmo assim, a moeda fechou em novo recorde histórico, com alta de 1,41%, cotado em R$ 4,7891.