Estado Islâmico na Líbia diz que assassinou dois jornalistas tunisianos

  • Por Agência EFE
  • 08/01/2015 16h31

Um grupo terrorista fiel ao Estado Islâmico na Líbia anunciou nesta quinta-feira em um fórum jihadista na internet que assassinou dois jornalistas tunisianos desaparecidos há meses.

Os jornalistas Sofian Churabi e Nadir al Qitari aparecem em imagens divulgadas pela página “Wilaya de Barka” ao lado de um jihadista com roupa de combate e uma máscara. O extremista portava uma arma e a imagem teria sido registrada no momento anterior da execução dos dois reféns.

O Ministério tunisiano das Relações Exteriores afirmou não ter recebido notificação oficial a respeito por parte das autoridades líbias e que está tentando “verificar a informação” que circula sobre esse assassinato.

Segundo o site, os dois jornalistas trabalham para uma rede de televisão por satélite, não citada, que “luta contra a religião e semeia o mal na Terra”.

Na última imagem que aparece, muito escura, anunciou que os jornalistas receberam “a execução da sentença de Alá”.

A página contém a bandeira negra salafista e os logos do Estado Islâmico, embora também inclua uma fotografia de Osama bin Laden.

Os dois profissionais desapareceram em 8 de setembro quando trabalhavam na Líbia. Desde então, ignorava-se seu paradeiro.

Vários jornalistas foram sequestrados ou assassinados na Líbia nos últimos três anos e organizações como Repórteres Sem Fronteiras denunciaram a situação de falta de defesa em que se encontram os jornalistas e comunicadores nesse país.