EUA pedem que líderes do Sudão do Sul cumpram acordo e negociem a paz

  • Por Agencia EFE
  • 09/05/2014 21h32

Washington, 9 mai (EFE).- Os Estados Unidos pediram nesta sexta-feira aos líderes do Sudão do Sul que respeitem seu acordo de cessar-fogo e negociem uma paz duradoura que deixe para trás cinco trágicos meses nos quais a violência castigou o país mais jovem do mundo.

“Pedimos ao presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, e ao líder dos rebeldes, Riek Machar, que tomem ações imediatas para assegurar que este acordo se implemente completamente e que os grupos armados de ambas partes aceitem seus termos”, declarou em comunicado o secretário de Estado americano, John Kerry.

Os líderes do país africano assinaram nesta sexta-feira em Adis-Abeba, capital da Etiópia, um acordo de cessar-fogo que porá fim à violência dos últimos cinco meses e se comprometeram a respeitá-lo.

“Pedimos a ambos líderes que honrem seu acordo, ponham fim à violência e negociem de boa fé um pacto político que possa assegurar a estabilidade, prosperidade e paz de todo o povo do Sudão do Sul”, afirmou também em comunicado Susan Rice, principal assessora em Segurança Nacional do presidente Barack Obama.

O primeiro-ministro etíope, Hailemariam Dessalegn, avisou nesta sexta a ambos líderes – que violaram em repetidas ocasiões o último cessar-fogo pactuado em 23 de janeiro – que “a comunidade internacional não ficará de braços cruzados enquanto os assassinatos continuam”.

O conflito político iniciado em dezembro do ano passado entre Kiir – de etnia dinka – e Machar – deposto um ano antes e da etinia nuer – derivou em um conflito étnico entre comunidades que se atacaram mutuamente nos últimos meses.

Kiir acusou Machar de tentar dar um golpe de Estado e se iniciaram os enfrentamentos que deixaram milhares de mortos e colocou à beira da guerra civil o jovem país, que conquistou sua independência do Sudão em julho de 2011. EFE