Governo alemão é contra remissão da dívida grega mesmo após vitória de Syriza

  • Por Agencia EFE
  • 21/09/2015 12h59

Berlim, 21 set (EFE).- O governo alemão reiterou nesta segunda-feira sua rejeição a uma remissão da dívida da dívida na Grécia após a vitória do Syriza nas segundas eleições antecipadas do ano no país, e lembrou que o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, negociou as condições do terceiro resgate.

“Temos bases claras para a superação da crise no terceiro pacote de ajudas (à Grécia), que conserva sua completa validade além das eleições”, ressaltou o porta-voz do Executivo alemão, Steffen Seibert, na habitual entrevista coletiva de segunda-feira.

O governo alemão, acrescentou, parte naturalmente da premissa de que o primeiro-ministro grego, que participou da negociação do terceiro resgate, zelará para que a implementação do estipulado “seja levada a cabo como foi previsto”.

Ao mesmo tempo, Seibert ressaltou que Berlim “colaborará de forma estreita” com o novo governo grego como fez com os executivos anteriores, não só no que diz respeito à crise econômica, mas também à dos refugiados.

Sobre a relação de confiança entre o governo alemão e o novo executivo grego, o porta-voz se limitou a dizer que é preciso esperar primeiro que ele se forme para depois iniciar os contatos.

“levamo a sério as declarações de todo o governo e do primeiro-ministro grego”, assinalou Seibert, ao ser perguntado sobre a mudança de atitude de Tsipras que precedeu a assinatura do terceiro pacote de ajudas à Grécia.

Por outro lado, assinalou que “não é costume” do governo alemão comentar as eleições dos países-membros da UE, e se limitou a declarar que “o povo grego expressou uma decisão de forma livre e democrática”. EFE