Ministro defende criação do Programa Nacional de Infraestrutura Turística

  • Por Agencia EFE
  • 17/09/2014 01h59

São Paulo, 16 set (EFE).- O ministro do Turismo, Vinicius Lages, defendeu nesta terça-feira a criação do Plano Nacional de Infraestrutura Turística em um eventual segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.

A ideia, de acordo com Lages, é dar “continuidade” às ações do ministério, que investe hoje 88% dos seus recursos em infraestrutura para o turismo, como pontes e acessos a pontos turísticos.

Com o plano, o ministro espera que seja possível levantar quais destinos turísticos brasileiros ainda não têm sinalização turística, por exemplo.

“Se não tiver sinalização, e estamos gastando R$ 1 bilhão por ano sem dar conta desta infraestrutura básica, que é a informação turística, tem alguma coisa errada”, ressaltou Lages em uma coletiva de imprensa organizada pela Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) para promover a 42ª Expo Internacional de Turismo.

O evento, que acontecerá de 24 a 28 de setembro em São Paulo, tem o apoio do ministério e dará destaque aos destinos brasileiros, com estandes das cinco regiões e um mega estande do Ministério do Turismo com a presença em tempo integral do ministro Vinicius Lages.

“O gabinete do ministro será transferido para a feira para que ele possa vivenciar de perto toda a efervescência do setor”, ressaltou a diretora de marketing do Ministério do Turismo, Luciana Paiva Fernandes.

O estande ainda deverá contar com a degustação de pratos típicos brasileiros, pocket shows de danças típicas e um balcão onde serão servidos cafés das diferentes regiões do país.

“Temos muito o que avançar no turismo ainda. Melhoramos a renda do brasileiro, a malha aérea, mas ainda estamos longe da situação dos sonhos”, avaliou o ministro. EFE