Macron considera “escandalosa e inaceitável” ação de seu guarda-costas

  • Por Agência EFE
  • 23/07/2018 07h11
EFEAté agora, Macron não quis falar diretamente deste assunto que tem uma dimensão judicial, uma parlamentar e uma administrativa

O presidente da França, Emmanuel Macron, considera que Alexandre Benalla, responsável de segurança no Palácio do Eliseu, teve um comportamento “totalmente escandaloso e inaceitável” contra manifestantes no dia 1 de maio passado.

O secretário de Estado de Relações com o Parlamento, Christophe Castaner, explicou a posição de Macron sobre este escândalo que lhe atinge diretamente e insistiu que o chefe do Estado quer que haja “sanções”.

Em entrevista ao canal “BFMTV”, Castaner se defendeu hoje contra a principal reprovação que se faz contra o presidente, a demora em atuar contra Benalla apesar do Eliseu ter sabido desde o princípio que ele tinha intervindo violentamente contra manifestantes com capacete e bracelete da Polícia, apesar de não o ser.

Castaner afirmou que “desde que os fatos foram conhecidos, o presidente da República iniciou na sexta-feira (passada) um procedimento de demissão de Benalla”.

O secretário explicou que Macron “quer uma visão global” dos fatos para realizar essa reorganização de modo que “o sistema seja o mais infalível possível”, e depois se pronunciará publicamente sobre este escândalo.

Até agora, Macron não quis falar diretamente deste assunto que tem uma dimensão judicial, uma parlamentar e uma administrativa, como lembrou o porta-voz do Governo, Benjamin Griveaux, em outra entrevista à emissora “RTL”.