Saiba quem é Alina Kabaeva, ex-ginasta apontada como amante de Putin

Líderes da oposição pedem que os Estados Unidos coloquem sanções contra a atleta alegando que ela é beneficiária da corrupção do líder russo

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2022 18h32 - Atualizado em 07/04/2022 18h37
Giuseppe CACACE / AFP e EFE/EPA/MIKHAIL KLIMENTYEV / SPUTNIK amante de putin Alina Kabaeva é apontada como a amante de Vladimir Putin

Os Estados Unidos anunciaram na quarta-feira, 6, mais uma rodada de sanções contra Vladimir Putin. Além da proibição de investimento de empresas americanas na Rússia, as medidas também se aplicam às filhas do líder russo, Maria Putina e Katerina Tikhonova, acusadas de esconder a riqueza do presidente russo. A repercussão do caso, fez com que os líderes da oposição pedissem que mais uma pessoa ligada ao chefe de Estado fosse punida pela invasão à Ucrânia e pelo massacre na cidade de Bucha, Alina Kabaeva, ex-ginasta olímpica, apontada como amante de Putin. 

Vencedora de duas medalhas olímpicas e com mais de 20 conquistas europeias, Alina Kabaeva tem 38 anos e ingressou na carreira política em 2008 após se aposentar do esporte com 24 anos e se tornar deputada do partido de Putin – quando os rumores sobre um suposto relacionamento entre eles começou. O Kremlin nega que haja algum envolvimento entre o líder russo e a ex-atleta, inclusive, de acordo com o jornal Newsweek, no mesmo ano que as especulações começaram, Moscou teria impedido que notícias envolvendo os dois fossem publicadas na imprensa local. 

Os pedidos por sanções para Kabaeva teriam partido de líderes da oposição sob alegação de que ela é beneficiária da corrupção de Putin. Em um publicação realizada no Twitter na terça-feira, 5, Alexey Navalny declarou que “Alina Kabaeva chefia a maior parte dos aparato de mentiras”. O jornal Telegraph, noticiou que a ex-atleta e seus filhos, a qual há especulações de que Putin seja o pai, mas a informação nunca foi confirmada, estão escondidos em um chalé na Suíça e enfrentam crescentes pedidos para que sejam extraditados para a Rússia.