Nove universidades brasileiras estão entre as 50 principais dos países dos Brics

  • Por Jovem Pan
  • 09/07/2015 09h15
SÃO PAULO, SP, BRASIL, 16-12-2011: A estudante de obstetrícia Jeniffer Farias, 20, e o doutorando em Veterinária, Marcos Vinicius Mendes, 30, pesquisadores do Laboratório de Células-tronco da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo (USP), durante expediente na cidade Universitária, zona oeste da cidade. (Foto: Gabo Morales/Folhapress, MERCADO) Gabo Morales/Folhapress Pesquisadores da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo (USP)

Brasil coloca nove universidades entre as cinquenta principais em meio aos países dos Brics. A classificação foi feita pela empresa britânica especializada em educação superior Quacquarelli Symonds. Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul compõem o bloco multilateral.

Apenas a Universidade de São Paulo ficou entre as dez primeiras colocadas, na nona posição. A Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, ficou em 12º lugar e Universidade Federal Fluminense em 25º. A Universidade Estadual Paulista, a Unesp, ficou na 27ª posição; a Universidade Federal de São Paulo, a Unifesp, ficou em 37º.

Também constam da lista as universidades federais de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul, nas posições 41 e 42. Fecham a participação brasileira na contagem empatadas em 47º lugar, as Pontifícias Universidades Católicas de São Paulo e do Rio.

A Universidade Tsinghua, da China, encabeça o levantamento; os chineses, no geral, dominam a lista, abocanhando sete dos dez primeiros lugares.

Entre os pontos fortes para a classificação está a produção acadêmica, mas pesa contra as instituições brasileiras a falta de atração de estudantes estrangeiros.