TSE aprova por unanimidade federação partidária entre PSDB e Cidadania

Tribunal Superior Eleitoral também deu aval para união entre PSOL e a Rede Sustentabilidade; com a decisão, partidos atuarão de maneira conjunta pelos próximos quatro anos

  • Por Jovem Pan
  • 26/05/2022 11h11 - Atualizado em 26/05/2022 11h27
Divulgação/TSE tse Pedido foi apresentado em 11 de maio e relatado pelo ministro Ricardo Lewandowski

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou na manhã desta quinta-feira, 26, o pedido de registro da federação partidária entre o Partido da Social Democracia do Brasil (PSDB) e o Cidadania. A informação foi compartilhada pelos tucanos nas redes sociais. “Federação PSDB-CIDADANIA deferida pelo TSE por unanimidade! #VamosJuntosPeloBrasil”, escreveu a legenda no Twitter, comemorando a decisão. O pedido foi apresentado em 11 de maio e relatado pelo ministro Ricardo Lewandowski. A junção com o PSDB visando as eleições 2022 foi aprovada pelo Cidadania em 19 de fevereiro, após decisão do Diretório Nacional do partido. Na ocasião, o presidente nacional tucano, Bruno Araújo disse que a união entre os partidos “fará a diferença” no Congresso Nacional, se tornando a oitava maior entre os parlamentares. “A federação entre Cidadania e PSDB, pela qualidade de seus quadros, fará a diferença no Congresso e nas próximas eleições presidenciais. Será também um passo importante na consolidação de partidos fortes, fundamentais para a consolidação das instituições brasileiras. Com essa decisão, o Cidadania se incorpora formalmente, junto o PSDB, na tentativa de uma federação ainda maior, com o diálogo em andamento entre MDB e União Brasil, com serviços prestados à democracia brasileira”, afirmou Bruno, em fevereiro deste ano.

Também em sessão nesta quinta-feira, o plenário do Tribunal Superior Eleitoral aprovou, em forma de tutela antecipada, o registro da federação partidária entre o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) e a Rede Sustentabilidade. Embora a aprovação da união pelo PSOL tenha acontecido em abril deste ano e pela Rede em março, o pedido de federação pedido foi apresentado ao TSE apenas nesta terça-feira, 24. O ministro relator designado foi Carlos Horbach, que deu parecer favorável. Com a decisão, os partidos formam união partidária pelos próximos quatro anos. No site do TSE, a federação é descrita como uma forma de “permitir às legendas atuarem de forma unificada em todo o país, como um teste para eventual fusão ou incorporação”.