Mourão diz que pedidos de fechamento do STF em protestos são ‘liberdade de expressão’

Para o vice-presidente, as reivindicações por intervenção militar e ataques ao Supremo são ‘normais’, mas enfatizou que ‘imensa maioria’ da população ‘não quer’

  • Por Jovem Pan
  • 02/05/2022 12h41 - Atualizado em 02/05/2022 14h57
WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão O vice-presidente Hamilton Mourão defendeu a 'liberdade de expressão' durante os protestos

O vice-presidente Hamilton Mourão (Republicamos) disse nesta segunda-feira, 2, que os pedidos de fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e da volta da ditadura militar nos protestos pró-Bolsonaro são “liberdade de expressão”. No último domingo, 1º de maio, apoiadores do presidente da República ocuparam as ruas das capitais em defesa da liberdade de expressão, uma espécie de desagravo ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado pela Suprema Corte a 8 anos e 9 meses de prisão por ataques às instituições e aos ministros. O general foi questionado pela imprensa ao chegar no Palácio do Alvorada sobre os pedidos inconstitucionais dos manifestantes. Para o general, as reivindicações não passam de “liberdade de expressão”, mas não são uma ameaça porque a “imensa maioria” da população não quer. “Isso é liberdade de expressão. Tem gente que quer isso, mas a imensa maioria do povo não quer. Normal”, defendeu o vice-presidente.