Príncipe Harry visita comunidade de realojados e cracolândia em São Paulo

  • Por Agencia EFE
  • 25/06/2014 13h40

São Paulo, 25 jun (EFE).- O príncipe Harry visitou nesta quarta-feira uma comunidade de pessoas realojadas por viviam em uma favela localizada em área de risco considerada de proteção ambiental.

O quarto na linha de sucessão ao trono britânico, que chegou ao Brasil na segunda-feira, participou de várias atividades durante a visita à comunidade localizada em Cubatão, na região metropolitana de São Paulo.

Diante da expectativa de dezenas de pessoas que o acompanharam, o príncipe comprovou a evolução de um programa sócio-ambiental implementado pelo governo do estado após a realocação das pessoas que viviam em áreas de risco ou de proteção ambiental.

Harry chegou às 10 (horário de Brasília), em meio a um rigoroso esquema de segurança, à comunidade de realojados na Serra do Mar, em onde foi recebido pelos moradores e por algumas autoridades.

Ele ajudou a pintar uma fachada com algumas das pessoas que durante meses estiveram responsáveis por decorar a comunidade, dedicada principalmente ao comércio, à gastronomia e ao artesanato.

O príncipe se arriscou a ajudar a cozinhar um bolo de banana e plantou, com algumas crianças, várias árvores na encosta em que os moradores viviam antes de serem desalojados.

Os moradores deste bairro, que começou a ser construído na década de 1940, foram desalojados em 2007 porque várias casas ocupavam uma áres de preservação ambiental considerada de risco por causa dos constantes deslizamentos provocados pelas chuvas.

O governo de São Paulo os acomodou em uma área construída no pé da montanha, a poucos metros de onde viviam, dentro de um projeto que contou com a participação dos moradores.

“Mudou 100% nossa vida. Abriram ruas e acessos. Há muito espaço. Estávamos ansiosos para que o príncipe conhecesse a comunidade. Essa visita vai ser muito importante para o bairro”, disse à Agência Efe Nelson dos Santos, um dos realocados.

Durante a visita, que durou cerca de uma hora, Harry conversou com vários moradores e se atreveu a dizer um “obrigado” em português.

À Efe Harry afirmou que a estadia no Brasil “foi muito boa”.

Após a visita a Cubatão, Harry irá hoje mesmo a uma associação de apoio a crianças em risco na cidade de Diaderma para promover o esporte, a educação e outros programas de desenvolvimento comunitário.

À tarde ele participa de uma recepção no consulado britânico em São Paulo em homenagem a sua avó, a rainha Elizabeth II.

Antes de seguir viagem, para o Chile, Harry visitará na quinta em São Paulo a cracolândia e conhecerá o programa de reabilitação promovido pela prefeitura.

O príncipe visitou na segunda a sede do hospital Sarah Kubitschek, em Brasília, um centro de referência no tratamento de pessoas com problemas de mobilidade, e à tarde assistiu à partida entre Brasil e Camarões.

Na terça-feira Harry foi a Belo Horizonte, cidade em que os atletas britânicos se prepararão para os Jogos Olímpicos de 2016 e assistiu ao jogo em que a Inglaterra se despediu do Mundial após empatar sem gols com a Costa Rica. EFE

ass-cm/cd