Recall de veículos vira rotina no Brasil e causa preocupação; entenda por quê

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2014 13h08

O recall de veículos virou rotina no Brasil, com 583 convocações das montadoras, de 8 milhões de proprietários desde 2002. Com o argumento de difícil controle do pós venda, o setor automotivo se limita às chamadas veiculadas no jornal, no rádio e na televisão.

A preocupação é cada vez maior porque os chamados envolvem itens de segurança: freios, sistema elétrico, combustível, falhas no projeto e fabricação. A consultora Letícia Costa destacou que muitos motoristas não sabem que seu veículo deve passar pelo recall, e as montadoras não atualizam seus cadastros.

Em 2013 a indústria automobilística bateu recorde com 80 recalls no país, como se a cada cinco dias, um modelo precisasse de reparo mecânico. Na página do Ministério da Justiça há alertas para veículos Chrysler, GM, Audi, Ford, Cooper, Mitsubishi, Mercedes, Renault e Subaru.

As montadoras não avisam o recall aos seus clientes, algo que poderia ser realizado com comunicados enviados para as residências. Em entrevista a Marcelo Mattos, o consultor Edson Parro, ressaltou o volume alarmante de falhas no processo produtivo dos carros no Brasil.

Uma portaria de 2001 pretendia que o recall não atendido no prazo de um ano aparecesse no Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo. Na prática isso não se concretizou, assim como boa parte dos consumidores não costuma atender aos chamados da montadora para efetuar reparos.