Sobe para 154 o número de mortos nos atentados contra mesquitas no Iêmen

  • Por Agencia EFE
  • 21/03/2015 08h32
Estado Islâmico reivindicou a açãoAtentado no Iêmen mata pelo menos 142 pessoas

O número de mortos pelos atentados perpetrados na sexta-feira contra duas mesquitas xiitas na capital iemenita chegou a 154, informou neste sábado à Agência Efe uma fonte do movimento xiita dos houthis.

A fonte, que pediu anonimato, explicou que o novo número é explicado pela morte de vários feridos e a apuração das autoridades dos restos mortais nos locais das explosões, que acrescentaram 17 mortes.

As duas mesquitas atacadas em Sana, Al Hashush e Badr, localizadas no norte e centro da cidade respectivamente, são frequentadas pelos dirigentes do grupo xiita rebelde dos houthis.

Por outro lado, o presidente iemenita, Abdo Rabbo Mansour Hadi, condenou estes atentados, que deixaram também centenas de feridos, e os qualificou de “atos atrozes”.

Além disso, acusou os autores de pretender levar o país a uma guerra confessional.

Em carta de condolências aos familiares das vítimas, Hadi qualificou os autores do ataque de “inimigos da vida, viciados em massacre e em destruição”, e disse que querem “desestabilizar a segurança e a estabilidade da pátria em condições extremamente complexas”.

O presidente ressaltou, ao mesmo tempo, que os que estão por trás de ditos atentados, que foram reivindicados pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI), serão castigados.

O Iêmen está imerso em um profundo conflito político, agravado desde que o presidente Hadi se retratou no mês passado, desde Aden, de sua anterior renúncia e anunciou que continuava sendo o presidente legítimo do país, em oposição ao ditado pelos houthis.