Cuba é o sonho do Lulopetismo para o futuro do Brasil

Personagens da nossa seara política como Marina Silva e Boulos saúdam o governo cubano como modelo a ser seguido e demonizam uma projeção de ditadura personificada por Jair Bolsonaro

  • Por Adrilles Jorge
  • 17/07/2021 10h00 - Atualizado em 18/07/2021 11h18
EFE/ Yander ZamoraManifestações contra o governo deixaram pelo menos uma pessoa morta em Cuba e dezenas de presos

Cuba sempre foi o mascote favorito do fetichismo da esquerda mundial com o autoritarismo. A revolução cubana, de 1959, que se contrapôs ao governo de Fulgencio Batista, um tirano considerado lacaio dos americanos, sempre foi celebrada como a tomada de liberdade contra os chamados ianques americanos imperialistas, que tinham negócios com a ilha. Well, Batista era corrupto, truculento, autoritário. Fidel Castro foi truculento, corrupto e autoritário. Amealhou quase um US$ 1 bilhão em fortuna, mandou matar dissidentes, proibiu cubanos de fugirem, transformou a ilha numa prisão comunista. Trocaram seis por meia dúzia. Mas um ditador de esquerda com ares revolucionários tem um charme irresistível à intelligentisa progressita mundial que lota universidades, escolas e os meios culturais em todo canto.

Durante anos, a ditadura cubana foi sustentada pelos soviéticos, o braço demoníaco do imperialismo. Os canhoteiros reclamam do imperialismo americano. Que tipo de imperialismo você prefere? Um que espalha valores como democracia e liberdade ou um que lhe atropela todos os direitos fundamentais em nome de um igualitarismo que nivela e distribui miséria para todos, menos para seus imperadores? Este é o imperialismo soviético, adotado como modelo em Cuba e por toda a esquerda mundial. E imitado à risca por Cuba. Mortos, torturados, humilhados, famintos, escravos. Por sessenta anos. Por sessenta anos, a esquerda mundial celebrou Cuba como modelo de saúde e educação. A educação modelo cubana é doutrinária. A história ensinada é a história do puxa-saquismo do comunismo que matou quase cem milhões de pessoas pelo mundo e impôs regimes de terror e miséria. Onde houve governo socialista, houve ditadura.

O famigerado isolacionismo pandêmico, que prende pessoas em casa e mata a liberdade do cidadão através do trabalho, é a nova forma de socialismo limpinho adotada pelos progressistas. Ironicamente, este mesmo isolacionismo desnudou em carne viva o regime de horrores cubano. Sem apoio comunista, sem economia aberta, com um regime exploratório socialista, Cuba desabou a olhos vistos em sua miséria à contemplação do mundo. Nem mesmo a educação doutrinária de lavagem cerebral encheu a barriga de famintos, de pessoas que tiveram parentes mortos em hospitais por falta de medicamentos. A população se revolta contra a tirania de um governo que massacra seu povo e ainda tem a desfaçatez de dizer que é tudo culpa do imperialismo americano. Que tem a desfaçatez assassina de recrutar jovens para matar o próprio povo desesperado.

O que faz a esquerda mundial, particularmente a brasileira? Elogiam a desfaçatez. Culpam o embargo americano pela miséria acompanhada de ditadura imposta ao povo cubano pelo seu governo. O embargo americano a Cuba não impede que outros países façam negócios com o país. Em 59, ano da revolução, os revolucionários expropriaram e estatizaram empresas americanas e se aproximaram da ditadura soviética. Ainda assim, Fidel Castro mendigou ajuda aos ianques. Ao ter o seu pedido recusado, tornou-se antiamericano, um braço aliado na guerra fria contra os EUA. Sustentada pela ditadura soviética, que ruiu nos anos oitenta, Cuba entrou em decadência vertiginosa. Ainda assim, até hoje os EUA são o principal exportador de comida para Cuba. O governo cubano literalmente escarra no prato que come. Pior, raciona comida para sua população, enquanto a mídia brasileira diz que povo que come menos é mais saudável. Personagens da nossa seara política como Lula, Marina Silva, Guilherme Boulos, saúdam o governo cubano como modelo a ser seguido. Demonizam uma projeção de sonho de ditadura personificado por Jair Bolsonaro, a quem acusam de futuro ditador, enquanto lambem as botas de uma tirania real.

Tudo por ideopatia, que aprisiona a realidade em um modelo baseado em suas convicções. O pior são essas convicções. O modelo tirânico que troca liberdade por falsa segurança e entrega fome, miséria, escravidão é o modelo de todos os governos socialistas na história do mundo. Cuba é o sonho do lulopetismo para o futuro do Brasil. É esta gente que a direita liberal limpinha, com apoio da mídia e políticos oportunistas, quer para o Brasil. Os liberais limpinhos, porque querem voltar a ter os holofotes como oposição antipetista. Os oportunistas, porque voltarão a ser agraciados com os mensalões petistas. E a mídia, por dinheiro em suas burras e por cegueira voluntária. Intelectuais, jornalistas, professores e artistas brasileiros são a maior massa de manobra ideopata da história da indigência mental mundial. Toda esta gente quer transformar o Brasil em um “Cubão” em 22.

*

Curso “Liberdade em Construção” com Adrilles Jorge – Acesse o site niucursos.com.br e, com o código SITEJP30, obtenha 30% de desconto. Confira o vídeo abaixo: