A quem interessa perseguir Sergio Moro?

Ex-juiz é acusado de fraude na mudança do seu domicílio eleitoral de Curitiba para São Paulo

  • Por Álvaro Alves de Faria
  • 19/05/2022 13h54
BRUNO ROCHA/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO - 01/04/2022 De óculos, terno e gravata, Sergio Moro Moro é acusado de fraude na mudança do seu domicílio eleitoral de Curitiba para São Paulo

Quem tem medo do ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro? Por que essa perseguição? Isso é perseguição, sim. A mando de quem? A ordem para investigar Moro e sua esposa, Rosângela Moro, partiu do Ministério Público Eleitoral. O objetivo dos investigadores é saber a razão da mudança de domicílio eleitoral de Moro de Curitiba para São Paulo. A decisão do MPE partiu de notícia-crime encaminhada pela Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo. A Procuradoria afirma que Sergio Moro e sua esposa não têm residência fixa em São Paulo. A quem interessa essa investigação? Quem deseja afastar de vez Sergio Moro da disputa pela Presidência da República? Muita gente. Muita. Especialmente aqueles que têm medo. Grandes corruptos e aqueles que se julgam donos do país. A troca de domicílio eleitoral sempre foi algo comum na vida do cidadão. Sempre. Mas agora com Sergio Moro deixou de ser. Vejam bem: Moro e sua esposa estão sendo acusados de prática de crime eleitoral. A ação foi encaminhada ao Ministério Público Eleitoral por uma empresária de São Paulo, no dia 5 de abril, para quem essa mudança de domicílio eleitoral ocorreu “mediante possível fraude e inserção de informação falsa no cadastro eleitoral”. É demais! Este país não tem conserto. 

As acusações de crimes que não existem se tornaram banais. E vêm sempre de gente vulgar, esses que aí estão a viver com todo tipo de privilégio às custas de uma população cada vez mais acuada. Sergio Moro respondeu com as palavras corretas, pelas redes sociais, dizendo que não há nenhuma ilegalidade no seu novo domicílio eleitoral. Observou, com absoluta razão, que mudar é um direito de todo cidadão brasileiro. Moro se colocou à disposição de quem quer que seja, esses que nada têm a fazer na vida, para prestar todo tipo de informação, afirmando achar estranho esse questionamento enquanto a candidatura de um condenado em 3 instâncias seja tratado com naturalidade. Sergio Moro está certo. Muito mais do que certo. De acordo com sua defesa, antes de mudar seu domicílio eleitoral para São Paulo, ele e sua esposa cumpriram rigorosamente todas as exigências da legislação eleitoral. 

Nesse episódio lastimável está metido também o deputado federal do PT Alexandre Padilha, ex-ministro de Lula e hoje médico de sua família. Faz ainda parte dessa farsa o diretório municipal do PT em São Paulo. Pedem o cancelamento da transferência de Moro justificando que ele não possui nenhum vínculo com a cidade. Em uma nota, Moro afirmou textualmente que na verdade o PT tem medo de perder nas urnas e por isso recorre a chicanas eleitorais. Moro transferiu seu domicílio eleitoral quando se filiou ao União Brasil, em março. Seu nome não está descartado no que diz respeito à terceira via, questão que ainda não foi resolvida. Na verdade, é assim que se acaba com a reputação de um homem que ousou enfrentar os corruptos poderosos  do Brasil, levando-os à cadeia, incluindo nessa lista o ex-presidente Lula, solto por um golpe do Supremo Tribunal Federal. Considerado um herói nacional, Sergio Moro está conhecendo agora de perto os facínoras da política brasileira.  

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.