Enquanto não se decide sobre as eleições, Damares observa ‘capetas’ que conspiram contra o governo

Em café da manhã com evangélicos no Palácio da Alvorada, na última semana, ex-ministra disse que o inferno atua para ‘prejudicar’ a gestão do presidente Jair Bolsonaro

  • Por Álvaro Alves de Faria
  • 18/04/2022 15h00
Gabriela Biló/Estadão Conteúdo Damares Alves Damares se filiou ao Republicanos e estuda lançar candidatura ao Legislativo

Tem um capeta careca enviado pelo inferno para perturbar o governo do presidente Jair Bolsonaro. É o que garante Damares Alves, ex-ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, que decidiu entrar na discussão pesada da campanha eleitoral que já está em todo lugar. Quem diria? A singela Damares, aquela que ficava sempre quietinha no seu canto, costurando sonhos para o futuro com uma maneira toda peculiar de viver, deixando todo mundo em paz. Damares dava a impressão de que não sabia que o mundo muda a cada dia, cada vez mais brutalmente. Preferia sonhar. Talvez fizesse bem. “Talvez” porque ninguém tem mais certeza de nada.

Pois a singela Damares resolveu alertar a todos os brasileiros que o inferno enviou uma porção de capetas para prejudicar o governo federal. E entre eles “tem até um capeta careca”. Mas a singela Damares não ficou somente nessa alusão ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ela falou de um monte de capetas que andam por aí azucrinando a vida dos nobres governantes brasileiros. A ex-ministra adiantou que o inferno está com muita raiva de todos e está se levantando e enviando seus soldados para o Brasil para acabar com o governo. Falando à imprensa na semana passada, em um café da manhã com evangélicos, no Palácio da Alvorada, Damares assegurou que o inferno decidiu prejudicar o governo cristão de Bolsonaro. Quando ela falou do “capeta careca” todos os presentes deram boas gargalhadas misturadas ao açúcar do doce servido no encontro, até da primeira-dama Michelle Bolsonaro, que achou engraçado.

Depois, em um ar mais sério, Damares Alves observou que tudo conspira contra o governo. Por isso não tem sido fácil. Tem muito soldado do inferno agindo no país. E entre esses capetas, todos enviados pelo inferno, encontram-se o Judiciário e a imprensa. Os capetas agem em todos os setores. Damares afirmou que quando se pensa que está tudo em paz, surge, de repente, coisas como Brumadinho, óleo no praia, queimada no Pantanal, briga no Congresso e outras coisas mais. Tudo obra do capeta contra o governo. Damares deixou o governo no dia 31 de março, junto com outros ministros que vão concorrer nas eleições de outubro. Ela ainda não sabe se será candidata à Câmara ou ao Senado. Já mudou seu domicílio eleitoral para o Distrito Federal e filiou-se ao Republicanos, partido ligado à Igreja Universal. Mas enquanto não decide, Damares Alves passa o tempo observando os capetas enviados pelo inferno para atingir Bolsonaro. Nisso ela tem razão. O que existe de capeta no Brasil não é brincadeira. É capeta demais azucrinando a vida de todo mundo e especialmente do governo. O país já está em uma bagaça que dá gosto, com os capetas tudo fica pior. Damares tem razão.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.