Quem tirou o nome de Lula da lista de acusados de fazer propaganda para a Rússia?

Ex-presidente havia sido incluído na relação de nomes após a declaração dada à revista Time de que Zelensky seria tão responsável pela guerra na Ucrânia quanto Putin

  • Por Álvaro Alves de Faria
  • 02/08/2022 13h37 - Atualizado em 02/08/2022 13h38
EVARISTO SA / AFP lula ucrânia russia Lula falou sobre a guerra na Ucrânia em entrevista à Time em maio deste ano

De repente, não mais que de repente, o nome de Luiz Inácio da Silva desapareceu da lista de acusados de fazer propaganda para a Rússia e defender Putin no episódio da invasão e destruição da Ucrânia. A lista dos colaboradores da Rússia foi divulgada ao mundo pelo Centro de Combate à Desinformação, do Conselho de Segurança e Defesa Nacional do governo ucraniano, criado pelo presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. É uma tentativa de combater a manipulação de informações que partem de Moscou. Da lista constavam 78 nomes, sendo que Luiz Inácio da Silva era o único brasileiro. Mas o nome dele sumiu. Lula é esperto. O nome dele foi colocado na lista de defensores da Rússia depois de uma entrevista que deu à revista norte-americana Time, na qual disse que Zelensky seria tão culpado pela guerra quanto Vladimir Putin. Mas a entrevista de Lula não se resumiu a isso. Foi muito além, chegando a classificar Zelensky como um palhaço comediante de televisão. Trata-se de um caso de inveja declarada, por ver um líder de verdade falando todos os dias ao seu povo na televisão tendo ao fundo apenas a destruição covarde de Putin. Lula nunca chegará a isso.

Nessa entrevista, Lula chegou a afirmar que Zelensky cedeu ao seu desejo de estar sob os holofotes, lembrando seu passado de comediante e estrela da TV. “Esse cara é tão responsável como Putin”, disse Lula, acrescentando que o presidente ucraniano foi encorajado pela celebração por líderes ocidentais e assim passou a pensar que era a “cereja do bolo”. A falta de educação, que faz de Lula um indivíduo desprezível, não parou por aí. Como se estivesse falando com Zelensky, Lula acrescentou: “Devíamos ter uma conversa séria, o.k.? Você era um bom comediante. Mas não vamos fazer guerra para aparecer na televisão!”. Mais adiante, ainda atacando o presidente da Ucrânia, Lula afirmou que “a Rússia deve liderar a nova ordem mundial”. A entrevista de Lula é um lixo. Na verdade, ele nunca condenou a invasão russa. Assim como Jair Bolsonaro, nunca disse uma palavra contra Putin. Nada. Bolsonaro afirma ser neutro e Lula ninguém sabe exatamente o que pensa. Mas essa entrevista explicou. Pode-se dizer que Lula deseja mesmo que a Ucrânia seja massacrada. Pelo menos foi o que deixou claro ao falar sobre o conflito pela primeira vez e, mesmo assim, à revista americana.

Mas eis que, de repente, o nome de Luiz Inácio da Silva desapareceu da lista dos admiradores da covarde invasão russa à Ucrânia. O Centro de Combate à Desinformação ucraniano não sabe como explicar. É que Volodymyr Zelensky não conhece Lula. Zelensky não sabe do que Lula é capaz. É um mágico. Tanto que, no Brasil, conseguiu escapar da prisão e teve anuladas três condenações por corrupção pelos amigos que tem no Supremo Tribunal Federal. Luiz Inácio tem muitos amigos em todo lugar. Lula arriscou uma desculpa, dizendo sem nenhuma convicção que nunca apoiou o ataque promovido pelo Kremlin. Ficou nisso. Desmentiu que tenha dito que a Rússia vai liderar a nova ordem mundial. E mais não falou. Como sempre. A verdade é que o nome de Lula desapareceu da lista dos admiradores de Putin. Quem será que tirou?

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.