Augusto Nunes: Ao pedir que Lula seja vice, Ciro é engolido por esperteza que já o derrotou anteriormente

Falas do ex-ministro sobre ‘generosidade’ do petista foram debatidas por comentaristas do programa ‘Os Pingos Nos Is’ desta terça-feira, 6

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2021 20h15 - Atualizado em 06/04/2021 21h05
Roberto Casimiro/Estadão ConteúdoCiro Gomes foi candidato à presidência da República em 2018

O ex-ministro e presidenciável em 2018 Ciro Gomes (PDT) disse na segunda-feira, 5, que o ex-presidente Lula deveria ter generosidade e se espelhar no exemplo de Cristina Kirchner, que, em 2019, concorreu na Argentina como vice-presidente de Alberto Fernández e ganhou as eleições. “A gente devia pedir generosidade a quem já teve oportunidade, como o Lula, que é um grande líder da história brasileira. A gente devia pedir a ele para se compenetrar e não copiar o exemplo desastrado de Maduro, na Venezuela, ou o exemplo desastrado de Evo Morales, na Bolívia. Mas olhar para o que a Cristina Kirchner fez na Argentina, que ajudou o país a se reconciliar”, afirmou. A fala foi feita em um debate online realizado pela central dos sindicatos brasileiros. Ciro pontuou, ainda, que os escândalos de corrupção envolvendo o governo petista podem minar a campanha eleitoral para 2022.

“Imagine vocês uma campanha em 2022, o Bolsonaro querendo se recuperar da impopularidade ao lembrar a esculhambação do Palocci, a esculhambação do Zé Dirceu, a esculhambação não sei de quem. Eu estou vendo ele fazer de novo a campanha antipetista em cima dos exemplos”, declarou. Segundo Ciro, o país precisa de ações na área de comércio exterior, industrial e de agricultura. Quem também tem dado entrevistas nos últimos dias é Lula. Em uma delas, à emissora portuguesa RTP, o petista foi questionado sobre a Venezuela e respondeu: “Eu acho que neste momento da história da humanidade, com a crise financeira que estamos vivendo e com o Covid-19 nesta pandemia, a Venezuela é um problema dos venezuelanos. O povo da Venezuela tem eleições a cada dois anos, a cada três meses, o Chaves fazia um referendo a cada dois anos. Você não pode dizer que não tem democracia na Venezuela”, afirmou.

O comentarista do programa “Os Pingos Nos Is”, da Jovem Pan, Augusto Nunes, lembrou que Lula não pensava que a Venezuela era um problema dos venezuelanos nas várias ocasiões em que fez comícios no país vizinho e deu declarações a favor do governo local. “O Lula, para provar que a democracia existe, na Venezuela se refere às frequentes eleições fraudadas. Por esse critério Cuba é uma ditadura, porque os cubanos não sabem o que é urna desde 1º de janeiro de 1959. Ele tem que decidir”, opinou. Sobre as eleições de 2022, Augusto acredita que Ciro Gomes se acha “esperto” nas declarações dadas, já que busca apoio de companheiros centristas sem perder o apoio do Partido dos Trabalhadores. “Já lembra que o Lula foi, deixou de ser por causa da cadeia, chefe de quadrilha. Pretende voltar a ser. O Ciro Gomes, que se acha muito esperto, cai naquela velha frase popularizada por Tancredo: ‘a esperteza quando é muita, fica grande e come o dono’. Ele já foi engolido várias vezes pela esperteza, o que explica as derrotas dele. Vai ser derrotado outra vez.”

Confira o programa “Os Pingos Nos Is” desta terça-feira, 6, na íntegra: