Augusto Nunes: Decisão de antecipar feriados mostra que Covas vai exportar vírus para litoral de SP

Determinação da prefeitura de adiantar feriados e criar mais de uma semana de folga para conter Covid-19 preocupou prefeitos da Baixada Santista e foi debatida no ‘Os Pingos Nos Is’

  • Por Jovem Pan
  • 19/03/2021 20h26 - Atualizado em 19/03/2021 21h16
ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDOCovas anunciou antecipação de feriados para o fim de março

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), fez críticas nesta sexta-feira, 19, à decisão tomada pelo prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB) de adiantar cinco feriados municipais de 2021 e 2022 para alegadamente tentar conter o avanço da Covid-19 na cidade. Doria criticou o que classificou como “falta de bom senso” da gestão municipal ao criar, a partir do dia 26, um longo feriado estendido até o dia 4 de abril. Em resposta, Bruno Covas afirmou que o senso que falta é o de “urgência”. As prefeituras da Baixada Santista também não gostaram da decisão de Covas e se declararam preocupados com uma invasão das cidades em pleno auge da pandemia. O Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista, formado pelas nove cidades da região, reuniu-se na quinta-feira, 18, poucas horas após o anúncio de Covas, para discutir o assunto. Na Grande São Paulo, os prefeitos de cidades vizinhas à capital pedem mais medidas restritivas como a adoção de um lockdown em toda a região para conter a Covid. Enquanto isso, a população da capital tomou as ruas pedindo “Fora Doria” e criticando as medidas adotadas pelo governador na pandemia. No momento, todo o estado está na “fase emergencial” contra a Covid-19, com boa parte dos serviços, bares e restaurantes fechados e apenas atividades essenciais permitidas.

O comentarista do programa “Os Pingos nos Is”, da Jovem Pan, Augusto Nunes, afirmou que Covas tenta jogar o problema da capital para outras cidades do estado. “O Bruno Covas virou exportador de vírus chinês. Ele se livra. Pega os possíveis infectados e manda para o litoral. Feriado para todo mundo, vai embora. Ele não sabe o que fazer. Libera os veículos, fecha o trânsito, ele está completamente perdido”, opinou. O jornalista diz que a mudança no horário do rodízio para entre as 20h e 5h com justificativa de que ela traria melhora para a lotação do transporte público mostra uma noção distorcida da realidade, já que aqueles que pegam os ônibus e metrôs não são os mesmos que têm carros de luxo na capital. “O que ele tem na cabeça? Os passageiros do metrô e dos ônibus seguirão os mesmos, são os mesmos. Ele não sabe o que fazer”, criticou. Augusto lembrou que muitos veículos se limitam a falar os pontos de popularidade perdidos por Jair Bolsonaro durante a gestão da pandemia e questiona como vai a popularidade de prefeitos e governadores no país. “Estão estão bem na cena que preferem agora jogar lá para o litoral, para outros prefeitos, vários do próprio partido, PSDB, para ver o que eles fazem com isso”, afirmou.

Confira o programa ‘Os Pingos Nos Is’ desta sexta-feira, 19, na íntegra: