Augusto Nunes: STF é exemplo do que juiz não deve fazer

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2019 08h20
Roberto Casimiro/Estadão ConteúdoNa última terça-feira, Dias Toffoli leu o voto sobre o entendimento do antigo Coaf por quatro horas e confundiu até mesmo os magistrados

“Antes que critérios políticos e conveniências partidárias interferissem na escolha de seus integrantes, o Supremo Tribunal Federal abrigava o que havia de mais respeitável no mundo do Direito. Só era escolhido quem tivesse notável saber jurídico e reputação ilibada – exigências impostas pela Constituição.

Se até no futebol brasileiro os craques sumiram, é compreensível que seja menos numerosa a linhagem dos grandes juristas. Isso talvez explique a escassez de sumidades no STF, mas não a extraordinária mediocridade da maioria do time da toga.

No meu tempo de estudante, os jovens juízes queriam ser, quando crescessem, um Nelson Hungria ou um Victor Nunes Leal – dois dos tantos que iluminaram a trajetória do tribunal. Num Supremo presidido por Dias Toffoli, cujo mentor é Gilmar Mendes, as sessões da Corte só ensinam a magistrados iniciantes o que um juiz não deve ser, nem fazer.”