Ficar muito tempo conectado pode deixar as pessoas mais deprimidas e ansiosas?

Ver o mundo intermediado por telas limita as experiências e, portanto, o conhecimento, mas isso não significa que você deve abandonar a tecnologia

  • Por Camila Magalhães
  • 17/03/2022 09h00
Bruno Emmanuelle/Unsplash Jovem mulher branca sentada em lugar aberto mexe no celular Pesquisadores têm investigado o quanto os efeitos da tecnologia podem influenciar nossa saúde mental

A tecnologia faz parte de nossas vidas. Se, por um lado, os avanços da modernidade facilitam – e muito – nosso dia a dia, estar conectado o tempo todo também pode ter seus efeitos colaterais. Pesquisadores têm investigado o quanto esses efeitos podem influenciar nossa saúde mental. É um campo de estudos novo, e os resultados apontam para muitas direções. A associação entre passar muito tempo na tela de computadores e smartphones e alguns transtornos como depressão e ansiedade, de fato, existe. Mas ainda não está claro como se dá essa relação.

Afinal, ficar muito tempo conectado pode deixar as pessoas mais deprimidas e ansiosas? Ou será que esses transtornos as deixam mais predispostas a abusar da tecnologia? Um estudo que analisou dados de 1 milhão de adolescentes norte-americanos mostrou que o bem-estar psicológico diminuiu a partir de 2012. O tempo dedicado a atividades como praticar esportes, ler livros e também a interação social também diminuiu. Por outro lado, o “tempo de tela” cresceu consideravelmente desde 2010. Os autores sugeriram, então, que passar muito tempo “conectado” poderia diminuir o bem-estar psicológico.

Já outro estudo publicado recentemente mostrou que os efeitos da tecnologia na saúde mental existem, mas são pequenos. Em comparação, o uso de drogas e bullying tiveram um impacto maior no bem-estar psicológico. Outro achado interessante dessa pesquisa foi que a qualidade do sono e refeições regulares influenciam mais a saúde mental que a tecnologia. Isso mostra que nossos hábitos, comportamentos e estilo de vida, impactam em conjunto a saúde mental.

Não é a tecnologia em si que faz mal à saúde. Mas o uso que fazemos dela. Passar muito tempo online significa, muitas vezes, deixar de fazer outras atividades mais saudáveis. Ver o mundo intermediado por telas limita as experiências e, portanto, o conhecimento. Isso não significa que você deve abandonar a tecnologia, mas usá-la de forma equilibrada e crítica. Tem alguma dúvida ou quer sugerir um tema? Escreve pra mim no Instagram  @dra.camilamagalhaes.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.