Tomar bebidas alcoólicas ajuda a esquecer os problemas e aliviar o sofrimento?

A taça de vinho ou a cerveja até podem ajudar a relaxar, mas só quando consumidas em pequenas quantidades e, de preferência, não todos os dias

  • Por Camila Magalhães
  • 07/10/2021 09h00 - Atualizado em 07/10/2021 11h30
Giovanna Gomes/UnsplashEstudo mostra que diagnósticos de ansiedade e depressão são muito comuns entre aqueles que bebem com frequência

Em primeiro lugar, quero agradecer as sugestões e perguntas que vocês têm enviado ao meu Instagram (dra.camilamagalhaes). A participação de vocês é essencial para que informações em saúde mental possam ajudar cada vez mais pessoas. Hoje vou responder ao comentário do Fernando M.: “Dra, há mais ou menos 11 anos venho substituindo minhas frustrações pessoais e de relacionamentos com o uso diário de cerveja. Sei que é problemático, mas acontece que, quando estou trabalhando, não faço o uso desse recurso. Tenho 51 anos. Eu gostaria de ouvir ou sentir uma forma de me aliviar emocionalmente para não continuar nesse ritmo. Fico mais calmo e tranquilo quando tomo minha cerveja, não sou agressivo até ser provocado”. Obrigada por dividir a sua história, Fernando. O álcool é uma substância que faz parte da nossa sociedade há muitos anos e por muitos motivos. Esquecer ou amenizar a preocupação com os problemas é apenas um deles. Mas será que funciona mesmo? Diversos pesquisadores já se aprofundaram nessa questão. Um estudo recente analisou as emoções relacionadas ao álcool em 21 países. O vinho tinto e a cerveja foram as bebidas mais associadas à sensação de relaxamento, mas, quanto maior a quantidade de álcool que as pessoas bebiam, maior era a chance delas sentirem emoções negativas. 

Os resultados de um outro estudo mostraram que diagnósticos de ansiedade e depressão são muito comuns entre aqueles que bebem com frequência e em grandes quantidades ou que já tem o diagnóstico da dependência. Ou seja: beber uma ou duas latinhas de cerveja até pode ajudar a relaxar, mas só quando consumidas em pequenas quantidades e, de preferência, não todos os dias. Por outro lado, o consumo exagerado desperta agressividade e depressão, ainda que a pessoa não seja assim quando está sóbria. Segundo a OMS, qualquer consumo de álcool pode trazer riscos à saúde, mas a organização entende que o consumo de baixo risco é limitado a até duas doses por dia (o que equivale a duas latas de cerveja) e recomenda deixar de beber em pelo menos dois dias por semana. Lembrando que menores de 18 anos, grávidas e motoristas não devem ingerir bebidas alcoólicas em hipótese alguma! É importante também dizer que, se o consumo estiver associado a outros fatores, como os que irei citar abaixo, provavelmente você possa já ter desenvolvido a dependência. São eles:

  • Tolerância (quando a pessoa precisa beber cada vez mais pra ter os efeitos do álcool);
  • Planeja beber só um pouco, mas sempre vai além do que o imaginado;
  • Dificuldade de parar depois que inicia;
  • Perder muito tempo bebendo ou se recuperando dos efeitos do álcool; 
  • Problemas recorrentes no trabalho ou nos relacionamentos pessoais por conta do uso; 
  • Abstinência: na ausência do álcool, tem sintomas físicos como taquicardia, tremores, irritabilidade e elevação da pressão arterial; 
  • Desejo intenso de consumir o álcool;
  • Continuar bebendo, apesar de todos estes problemas acima.

Diante do que eu falei acima, se você estiver usando o álcool com frequência, como remédio para os seus problemas, isso só vai te trazer mais problemas. Se não estiver conseguindo reduzir ou parar sozinho, procure um médico psiquiatra! Tem algum comentário ou quer sugerir um tema? Escreva para mim: @dra.camilamagalhaes.