Veja as diferenças e as semelhanças entre meditação e mindfulness

Escolher uma das práticas tem a ver com o objetivo que se pretende alcançar

  • Por Camila Magalhães
  • 25/11/2021 09h00
wayhomestudio - br.freepik.comSe o seu objetivo é relaxar, talvez a meditação seja mais indicada; sequer trabalhar o foco, o mindfulness pode ser muito útil

Olá, na coluna de hoje eu vou falar sobre meditação. Recebemos inúmeras perguntas e pedidos para falarmos mais sobre este tema. Bem, a meditação é uma prática antiga na cultura oriental. Embora pareça exótica por fazer parte de alguns rituais religiosos, seus efeitos no cérebro têm sido cada vez mais estudados. No Ocidente, as práticas de mindfulness se popularizaram bastante nos últimos anos. Mas, as pessoas têm dúvida se meditação e mindfulness são a mesma coisa. A resposta é: sim e não! 

Eu vou começar pelo que elas têm em comum, já que ambas alteram o nosso estado de consciência. A consciência é a percepção que nós temos das sensações, dos pensamentos e dos sentimentos vividos em um determinado momento. As alterações acontecem naturalmente, por exemplo, quando dormimos ou acordamos. As técnicas de meditação redirecionam completamente a atenção, o que altera o estado da consciência. E, para isso, existem várias formas de meditar: repetir um som ou um mantra, focar em uma figura ou em alguma parte do corpo… Tem também alguns estilos de ioga que combinam a concentração do corpo e da mente. 

As práticas de mindfulness redirecionam a atenção para o momento presente. Em outras palavras, é uma observação do que está acontecendo no agora. Isso inclui desde detalhes pequenos, como perceber o sapato apertado, a forma como a gente se relaciona com os outros, se estou impaciente ou tranquilo, ou a percepção de cada sabor enquanto você se alimenta. Pode não ser tão fácil, pois envolve, como eu falei, desde perceber a sensação do sapato apertando o pé, mas também as nossas dificuldades, como estamos agindo em diversas situações do dia. Não se trata de buscar a felicidade ou reprimir a tristeza, mas ter a consciência do que se passa com a gente E que são estados de consciência passageiros.

Tanto a meditação com o mindfullness têm resultados positivos para a saúde. A meditação, além de alterar os estados de consciência, também pode produzir alterações fisiológicas. Ou seja, durante a meditação, o corpo usa menos oxigênio, a frequências cardíaca diminui e os padrões de ondas cerebrais mudam. Evidências científicas, inclusive, comprovam os benefícios para o tratamento de dores crônicas, transtornos mentais e até mesmo para perder peso.

A principal diferença entre as duas práticas tem a ver com o objetivo que se pretende alcançar. Ao escolher entre uma ou outra, é bom ter em mente qual resultado você espera. Se o seu objetivo, por exemplo, é relaxar, talvez a meditação seja mais indicada. Mas se você quer trabalhar o foco, a memória ou a sua capacidade de comer quando está realmente com fome — e não por-ansiedade —, ou até mesmo perceber como está sendo o seu padrão de uso do álcool, o mindfulness pode ser muito útil. Bem, era este tema interessante e meditativo que eu queria trazer pra vocês hoje. Tem algum comentário ou deseja sugerir um tema? Escreva para mim: @dra.camilamagalhaes. Até a próxima!

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.