Tragédia no centro de SP alia negligência do Estado a oportunismo de milícias

  • Por Jovem Pan
  • 02/05/2018 14h04
DANILO M YOSHIOKA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMoradores do prédio que desabou após pegar fogo seguem no entorno da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, no Largo do Paissandu, centro de SP

O comentarista Carlos Andreazza diz que a tragédia no centro de São Paulo que resultou na queda em chamas de um edifício abandonado irresponsavelmente e ocupado irresponsavelmente é “produto da combinação pavorosa entre negligência do Estado e oportunismo político de milícias”.

O comentarista diz que os movimentos de sem-teto são milícias, pois “mantêm cativos aqueles de quem dizem cuidar, cerceando o direito de ir e vir, controlando o uso da água e oferecendo segurança, que, como se viu, não podem entregar”.

Cobrava-se uma taxa do sem-teto pelo direito de ser sem-teto.

É prática comum cobrar aluguel de abrigados nas ocupações de patrimônio dos outros?