Denise: Após Guedes dizer que alta ‘não preocupa’, dólar bate novo recorde e chega a R$ 4,25

  • Por Jovem Pan
  • 26/11/2019 10h09
Fátima Meira/Estadão ConteúdoValor é o maior já registrado na história

O dólar mantém, nesta terça-feira (26), sua trajetória de alta: por volta das 9h40, a moeda americana subia mais de 1%, cotada a R$ 4,258. O valor, que é o maior já registrado, é uma reação às recentes declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, que disse não estar preocupado com a escalada da moeda americana.

Na segunda-feira (25), o dólar fechou o dia em alta de 0,5%, a R$ 4,2129. Pouco depois, Guedes disse o Brasil deveria “se acostumar com juros mais baixos por um bom tempo e com o câmbio mais alto por um bom tempo”.

“Eu não estou preocupado com a alta do dólar. Pelo contrário. Achei absolutamente compreensível. O juro baixou, está em 5%. Quando tem política fiscal mais forte e juro mais baixo, o câmbio de equilíbrio é mais alto. O Brasil é agora um país interessante, com juro bastante baixo. Os investimentos vão começar e vai retomar o crescimento”, afirmou.

“O dólar está alto. Qual o problema? Zero. Nem inflação ele [dólar alto] está causando. Vamos exportar um pouco mais e importar um pouco menos. É bom se acostumar com juros mais baixos por um bom tempo e com o câmbio mais alto por um bom tempo”, continuou o ministro.

Além das falas de Guedes, o mercado está refletindo, também, os dados das contas externas brasileiras, divulgados ontem (25). Com déficit de R$ 7,8 bilhões, no pior resultado registrado para um mês de outubro desde 2014, os números mostraram piora em relação ao fluxo de investimentos para o mercado financeiro, o fluxo de investimentos direto estrangeiro e a piora, também, da balança comercial.