Denise: Cenário do Brasil e do exterior podem fixar dólar em patamar alto

  • Por Jovem Pan
  • 28/11/2019 10h05
JF DIORIO/ESTADÃO CONTEÚDOMoeda norte-americana registrou alta por três dias cosecutivos

O dólar abriu o dia, nesta quinta-feira (28), em leve queda de 0,15%, cotado a R$ 4,25. Apesar da pequena diminuição, o cenário é similar ao de quarta-feira (27), quando a moeda norte-americana também começou o dia em queda, mas voltou a bater os valores recordes históricos, chegando próximo de R$ 4,26 em seu fechamento.

Na máxima do dia, a moeda chegou a ser negociada a R$ 4,27. Com três altas consecutivas acumuladas, o mundo vive um cenário de certo desequilíbrio, que pode sustentar o dólar em um patamar mais alto.

Entre os fatores de preocupação e pressão, estão o aumento da sazonalidade – o momento é de aumento de remessas de lucros e dividendos para o exterior -, coincidindo com um período de maior incerteza, cenário de protestos na América Latina, preocupações com a agenda reformista do Brasil, que está parada, e o menor fluxo de investimentos recebidos pelo país.

No exterior, há uma nova preocupação com relação a guerra comercial entre Estados Unidos e China. Ontem, Congresso dos EUA, com o aval do presidente, Donald Trump, decidiu que pode impor algumas medidas restritivas à China e às suas empresas caso o país faça represálias mais fortes em relação aos protestos em Hong Kong.