Denise: Inflação mais alta não deve afetar novo corte da Selic

  • Por Jovem Pan
  • 09/12/2019 11h14 - Atualizado em 09/12/2019 11h19
Marcello Casal Jr/Agência BrasilO Boletim Focus, do Banco Central, elevou a previsão de inflação de 3,52% para 3,84% para o fim deste ano

Mesmo com o avanço da inflação no mês de novembro – que registrou variação de 0,51, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)– e com a confirmação de uma expectativa inflação um pouco mais forte no fim deste ano –  o Boletim Focus, do Banco Central (BC), divulgado nesta segunda-feira (9), elevou a projeção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 3,52% para 3,84% – o corte previsto na taxa básica de juros não deve ser alterado.

Na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) desta semana, é esperada mais uma diminuição de meio ponto na taxa Selic, chegando a 4,5% ao ano, já que a sinalização feita pelo próprio BC de que isso ia acontecer foi muito clara. Além disso, o mês de dezembro deve ter uma pressão menor do preço carne (que subiu 8% em novembro) e vai contar com a mudança da bandeira da tarifa de energia, passando da vermelha, a mais cara, para a amarela – ois fatores que pesaram muito no mês passado.

Crescimento da economia

O Boletim Focus também elevou, hoje, a projeção de crescimento da economia – passando para 1,10% no fim do ano e confirmando a tendência de retomada. Agora, os cortes devem parar por aí. A expectativa é de uma crescimento mais robusto da economia no próximo ano, mais que o dobro deste, em 2,24%. Isso pode dar margem para recomposições de preços, pressionando mais os índices.