Denise: OCDE não vê melhora da economia brasileira e prevê PIB baixo em 2019, 2020 e 2021

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2019 10h44
Rafael Neddermeyer/Fotos PúblicasProjeções brasileiras, no entanto, apontam números mais fortes

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) reduziu, nesta quinta-feira (21), a projeção para a economia global no fim deste ano, que passou de 3% para 2,9%. Os novos números foram ajustados após os indicadores de diversos países indicarem dificuldade no crescimento, mesmo com nível de juros baixíssimos.

Em relação ao Brasil, no entanto, a expectativa é ainda mais pessimista, com projeções inferiores às oficiais do mercado financeiro. De acordo com a OCDE, o país deve crescer 0,8% em 2019, número que ficou durante meses nos relatórios do mercado brasileiro, mas que acabou sendo aumentado após a aprovação da reforma da Previdência.

Para o ano que vem, a OCDE estima um crescimento de 1,7% da economia brasileira, e de 1,8% em 2021. Os valores mostram que a organização não enxerga reação intensa da economia do país, mesmo com a conclusão das novas regras previdenciárias.

As projeções brasileiras, no entanto, preveem crescimento acima de 0,9% para este ano, podendo encostar em 1%. Para 2020, o mercado vem projetando um crescimento cada vez mais em alta, na casa dos 2%.