Litoral paranaense tem enorme potencial para a revelação de surfistas

Paraná já é um grande revelador de nomes do surf; pela qualidade e constância das ondas, o estado ainda pode proporcionar novas personalidades do esporte

  • Por JoJó de Olivença
  • 13/10/2020 08h34
Reprodução/Instagram/peterson_crisantoPeterson Crisanto é um grande nome do surf atualmente, e foi revelado no Paraná

Gostaria de relatar a visita que fiz ao Paraná no último final de semana. Foi breve, fui na sexta-feira e voltei no domingo, mas foi muito proveitosa. Em Matinhos, no litoral paranaense, tive a oportunidade de debater o surfe local com alguns amigos, como o Juca de Barros, ex-presidente da Confederação Brasileira de Surf e o Antônio Barbosa, o Maninho, ex-presidente da Federação Paranaense de Surf. Confesso para vocês que nunca tinha ido até o litoral do Paraná e me surpreendi muito positivamente com a onda de Matinhos, que é a principal do estado. Uma onda direita de pointbreak com tubos, muito boa, com potencial enorme para desenvolvimento de novos talentos.

A Ilha do Mel, situada na embocadura da Baía de Paranaguá, e reconhecida como uma das melhoras ondas do estado, foi um local por onde gostaria de ter passado, mas pela rapidez da viagem, infelizmente, não consegui. Ficará para uma próxima, muito em breve! Um dos pontos altos da viagem, além do surf, foi a culinária. Na cidade interiorana de Morretes, pude degustar um prato tipicamente paranaense, o famoso Barreado, um prato à base de carnes de segunda e temperos. Delicioso!

Voltando ao surf e à geração de novos talentos: o litoral paranaense tem um potencial enorme para a revelação de surfistas, pela qualidade e constância das suas ondas. Inclusive, meu grande amigo Nelson Ferreira já foi campeão por lá na década de 80. Aliás, o Paraná já é um revelador de grandes nomes do surf. O mais atual é o Peterson Crisanto, que surfa na World Surf League (WSL). Mas ainda podemos citar Jihad Kodr e Peterson Rosa, entre tantos outros nomes importantes do surf nacional desde a década de 80 até os dias atuais que saíram do estado paranaense. Portanto, desejo que o Paraná continue sendo, por muitos e muitos anos, um celeiro de jovens talentos para o surf brasileiro e mundial!