Surfe adaptado transforma a vida das pessoas com deficiência

Esporte garante igualdade de oportunidades e acesso ao lazer e à cultura

  • Por Jojó de Olivença
  • 01/10/2020 10h00
PixabayInclusão nas praias: Surfe adaptado e acessibilidade na areia promovem contato direto com a natureza

Hoje estou aqui para falar de um assunto extremamente importante e nem sempre debatido e divulgado da forma como deveria ser: o surfe adaptado, que busca inserir as pessoas com deficiência física no esporte. E tenho a felicidade de dizer que temos dois verdadeiros parceiros que se dedicam a apoiar esta causa. O primeiro é o Filipe, da Adaptsurf, do Rio de Janeiro (RJ) e o segundo é o Cisco Araña, da Escola Radical de Surf de Santos (SP). Ambos estão diariamente surfando a onda da inclusão no esporte. A Adaptsurf é uma associação sem fins lucrativos, fundada em 2007, para promover a inclusão social de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida lhes garantindo igualdade de oportunidades e acesso ao lazer, esporte e cultura, através do contato direto com a natureza. A proposta da Adaptsurf é desenvolver e divulgar o surfe adaptado para pessoas com deficiência e lutar pela preservação e por melhorias na acessibilidade das praias.

Em 13 anos de existência, a Adaptsurf já promoveu mais de 4 mil aulas de surfe adaptado, 3 mil horas de praia acessível, 25 mutirões de limpeza de praia e 1,5 mil voluntários mobilizados. Que continue assim por muitos e muitos anos! Já a Escola Radical de Surf foi fundada em 1991 e, desde então, mais de 30 mil pessoas já passaram por lá. Atualmente, a escola, localizada na praia do canal 1, atende mais de 500 alunos e conta com turmas específicas para pessoas com mais de 50 anos de idade e alunos com deficiência física. Desde o início de 2020, no dia 3 de janeiro, para ser mais preciso, funciona a primeira escola pública de surfe adaptado do mundo. Inaugurada pela Prefeitura Municipal de Santos na praia do canal 2, pela proximidade com a Escola Radical de Surf, têm disponibilidade para atender até 90 alunos. Em tempos onde observamos tanta gente discutindo e brigando por coisas pequenas e insignificantes é extremamente satisfatório e prazeroso ver que ainda existem aqueles que não só olham pelo outro, mas dedicam uma considerável parcela de seus dias e suas vidas para apoiar a causa do próximo. A humanidade precisa praticar constantemente a empatia para com o próximo. E surfe está aí para isso.