Josias de Souza: Bolsonaro está abraçado a um aliado sob suspeita de morder propina

  • Por Jovem Pan
  • 26/09/2019 07h56
Valter Campanato/Agência BrasilProvas obtidas pela Polícia Federal confirmaram irregularidades cometidas por Fernando Bezerra Coelho e Fernando Bezerra Coelho Filho

O procurador-geral da República interino apontou que senador e deputado tiveram vantagem indevida. Alcides Martins apontou que o STF teve provas obtidas pela Polícia Federal que confirmaram irregularidades cometidas por Fernando Bezerra Coelho e Fernando Bezerra Coelho Filho – que negam.

“A confirmação de que a batida policial de busca e apreensão feita nos endereços de Fernando Bezerra encontrou matéria-prima comprometedora deixa o presidente em uma situação moralmente precária. O presidente declarou que não deseja afastar o senador do posto de líder do Governo no Senado. Com isso, Bolsonaro desafia os humores dos brasileiros que ainda acreditavam que ele seria intolerante com os maus costumes.”

“Alega-se que Bezerra é um líder competente e que a investigação se refere a uma encrenca da época em que o senador era ministro de Dilma Rousseff. Quem olha de longe enxerga um presidente, que se dizia moralizador, abraçado a um aliado sob suspeita de morder propina de R$ 5,5 milhões. Bolsonaro ainda não se deu conta que é impossível fugir de mau cheiro abraçado com um gambá”, completa Josias.