Josias: Eleições brasileiras não se decidem mais em lances de apadrinhamento de cúpula

Covas aparece em 1º lugar nas intenções de votos em SP, com 23%; Boulos e Russomano estão em 2º

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2020 07h55 - Atualizado em 23/10/2020 07h58
ROGÉRIO GALASSE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOTanto Russomanno quanto Jilmar Tatto se apegaram a Bolsonaro e Lula em seus discursos

Bruno Covas aparece em primeiro lugar na pesquisa de intenção de voto do Datafolha em São Paulo, com 23%. Celso Russomanno e Guilherme Boulos estão tecnicamente empatados em segundo lugar com, 20% e 14% de forma respectiva. “O Celso Russomanno e o Jilmar Tatto deixaram suas candidaturas à Prefeitura de SP nos padrinhos Bolsonaro e Lula. O Bruno Covas tratou com um certo distanciamento social o seu correligionário João Doria.”

“Há 20 dias da eleição, o Russomanno derrete nas pesquisas cedendo a liderança ao tucano. E o Jilmar Tatto ostenta um desempenho de sub-Psol, bem abaixo de Guilherme Boulos. Consolidando-se esses movimentos, vai ficar entendido que as eleições brasileiras já não se decidem mais em lances de marketagem e apadrinhamento de cúpula. A coisa funciona mais ou menos como uma feijoada. Esse tipo de ingrediente serve como tempero — pode melhorar ou piorar. Mas cabe ao candidato providencias as carnes e o feijão que dão consistência a receita.”