Combustíveis serão impactados por embargo europeu ao petróleo russo

Petróleo subiu mais de 5% com reação à proposta e óleo diesel também deve subir

  • Por Kellen Severo
  • 09/05/2022 09h00 - Atualizado em 09/05/2022 11h52
Reprodução/Pixabay/Creative Commons Carro sendo abastecido Óleo diesel é um dos componentes com mais peso no custo de produção na agropecuária brasileira

A proposta da União Europeia de restringir as importações de petróleo e derivados da Rússia deverá gerar impactos também no mercado de combustíveis do Brasil. Na última semana, o petróleo subiu mais de 5% com reação à proposta de embargo e tem espaço para avançar se a confirmação ocorrer. De acordo com a consultoria StoneX, a ruptura com a Rússia vai fazer a Europa buscar petróleo no Golfo do México, Estados Unidos, um dos principais fornecedores de derivados, como o diesel, para o Brasil. O aumento da demanda e a oferta restrita indicam que não há espaço para o preço ir para baixo.

O óleo diesel é um dos componentes com mais peso no custo de produção na agropecuária brasileira. E ao que tudo indica, deverá pesar mais, já que o reajuste necessário para a paridade internacional é superior a 30% no momento, o que ainda de acordo com a estimativa da StoneX pode representar alta superior a R$ 1 por litro. O novo presidente da Petrobras indicou que não pretende mexer na política de preços que acompanha o mercado internacional. E a tendência lá fora permanece de petróleo valorizado e acima de US$ 100 o barril. Ou seja, a conta de combustíveis tende, sim, a ficar mais salgada para o campo enquanto petróleo e dólar continuarem firmes.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.