Alckmin não encanta e o centro está perdido

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2018 11h40
EFEGeraldo Alckmin não quer o apoio público de Michel Temer

Temer não será candidato a releição porque vai passar pela maior humilhação da história. Maia também não será. Meirelles dificilmente será. Então vão peneirar para ver o que sobra.

A candidatura de Geraldo Alckmin passa por sérios problemas. Os resultados são bastante inexpressivos e parece que não encanta os pesquisados. Os partidos estão perdidos e alguns tentam se aproximar de Bolsonaro.

O eleitorado está insatisfeito com tudo o que está ai e quer encontrar um candidato anti sistema. Por isso, o resultado de Jair Bolsonaro nas pesquisas.

Alckmin pode aglutinar o centro, mas o principal problema é ele mesmo. Ele tem de ser mais duro, mais incisivo percorrer o País e entusiasmar o Brasil. Alckmin não tem carisma e sua fala o prejudica ainda mais.

Também se cogita que Janaína Paschoal saia como vice de Bolsonaro. A ideia é quebrar a resistência do eleitorado feminino em relação ao Bolsonaro. Ela está filiada ao PSL e tem totais condições de ser candidata. Mas é difícil.

Caminhamos num terreno de absoluta incerteza que explica o fracasso do sistema eleitoral. Ninguém quer o apoio do MBD para não se “queimar” publicamente.

É terrível. Porque caminhamos para a segunda quinzena de maio e não sabemos para onde vai o Brasil.

Vivemos o pior momento do Brasil Republicano.

Tudo indica também que o PT vai ter um papel pouco relevante no cenário eleitoral. O registro da candidatura de Lula vai ser impugnado e o partido não tem outro nome viável. Ao longo da sua história, Lula foi decepando todas as principais  lideranças políticas e o PT não tem mais ninguém fora da cadeia.

O PT vive uma grande crise. Vai haver uma fragmentação e que deve ser liderada por Tarso Genro, ex-ministro da Justiça.