Marco Antonio Villa: Caso Flávio Bolsonaro – Não se briga com fatos

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2019 07h35
ReproduçãoAs denúncias contra o deputado estadual e senador eleito são muito graves

Governo Federal tenta evitar contaminação pela crise envolvendo Flávio Bolsonaro. O vice-presidente, general Hamilton Mourão, que assume o comando do país interinamente nesta semana, foi um dos primeiros a apontar que o caso não tem relação com o Planalto.

Flávio Bolsonaro comprou R$ 4,2 milhões em imóveis entre 2014 e 2017. São dois negócios envolvendo apartamentos em áreas nobres no Rio de Janeiro, ambos registrados em cartório pelo senador eleito.

O filho do presidente nega irregularidades em depósitos em dinheiro vivo na conta dele. O senador eleito alega que o valor se refere à venda de um apartamento, cujo negócio envolveu ainda o pagamento de mais de R$ 1 milhão à Caixa Econômica Federal.

“Antes era questão que envolvia o assessor Fabrício Queiroz. Ele movimentou R$ 7 milhões. Só através dos rolos? Estranho. Ele é assessor de Flávio Bolsonaro. As denúncias contra o deputado estadual e senador eleito são muito graves. A bandeira da ética é da moralidade e respeito à coisa pública. Flávio Bolsonaro deve se apresentar. Não se briga com os fatos. Por fim, a compra de imóveis e parte deles paga com dinheiro vivo. O Brasil precisa de tranquilidade política para fazer as reformas e combater a corrupção. O Brasil tem um tripé de ingovernabilidade, e um dos pés são os filhos do presidente”.

Confira o comentário completo: